Negócios

Ela começou um negócio com US$ 1.000 num setor dominado por homens. Hoje, gere US$ 15 bilhões

Americana que empreende na indústria da construção hoje oferece oportunidades para talentos negros. Saiba mais:

Isabela Rovaroto
Isabela Rovaroto

Repóter de Negócios

Publicado em 16 de abril de 2024 às 16h12.

Última atualização em 16 de abril de 2024 às 16h52.

A história empreendedora de Deryl McKissack é marcada por sua resiliência em um ambiente dominado por homens. Em 1990, impulsionada pelo desejo de autonomia e determinada a ver mais mulheres negras em posições de liderança na indústria da construção, a americana Deryl McKissack fundou a McKissack & McKissack com US$ 1.000.

"Lembro-me de que na faculdade provavelmente havia três mulheres na minha turma, e minha irmã gêmea era uma delas. Portanto, é muito raro haver mulheres nesta indústria, mas estamos nos destacando", diz a empreendedora. 

Com 170 funcionários, a empresa de gerenciamento de construção e design tem uma sede em Washington, D.C, e escritórios em Chicago, Dallas, Los Angeles e Baltimore. A receita anual é de cerca de US$ 30 milhões, gerenciando projetos avaliados em US$ 15 bilhões, de acordo com documentos revisados pela CNBC Make It.

Como o negócio foi fundado

Deryl McKissack’s, CEO da construtora americana McKissack & McKissack

Deryl McKissack’s, CEO da construtora americana McKissack & McKissack (Deryl McKissack’s, CEO da construtora americanMcKissack & McKissack/Divulgação)

McKissack retirou US$ 1.000 de sua conta poupança e lançou sua empresa em 1990. Abandonando um emprego bem remunerado em engenharia, Deryl enfrentou desafios significativos, desde a dificuldade de atrair clientes até a obtenção de financiamento. Mesmo com um diploma em engenharia civil e experiência na área, a empreendedora teve dificuldade para conquistar a confiança dos bancos.

"Não tinha um banco que acreditasse em mim. Levei cinco anos para conseguir minha primeira linha de crédito de US$ 10.000. Provavelmente fui a 11 bancos que me disseram não", diz. 

Seu início modesto envolveu apresentações improvisadas usando um projetor antigo e anúncios de emprego no Washington Post.

No entanto, sua dedicação e habilidades de networking abriram portas para projetos importantes, incluindo trabalhos na Casa Branca e no prédio do Tesouro dos EUA. Os projetos iniciais foram o pontapé da empresa e pavimentaram o caminho para projetos federais mais complexos.

Diversidade  

Apesar dos desafios, Deryl não apenas construiu um império empresarial, mas também se tornou uma defensora ativa da diversidade no setor. Ela fundou a AEC Unites, uma organização sem fins lucrativos dedicada a oferecer oportunidades profissionais para talentos negros na indústria de arquitetura, engenharia e construção.

"Eu não consegui até que mais negros e mais mulheres conseguissem. Quando mais pessoas que se parecem comigo estiverem na indústria e dominando partes desta indústria, então poderei sentar-me voltar e dizer: 'Conseguimos'", diz a empreendedora.

Para Deryl, o legado vai além dos negócios. Com sua filha seguindo os passos familiares, ela vislumbra uma nova geração de McKissacks moldando o futuro da indústria da construção.

"Eu digo a ela o tempo todo que todos os caminhos levam a McKissack", afirma orgulhosamente. "E eu não me importo como ela chega lá."

LEIA MAIS:

Acompanhe tudo sobre:empreendedorismo-femininoNegrosEstados Unidos (EUA)

Mais de Negócios

OPINIÃO: Na lama da tragédia, qual política devemos construir?

Conheça a Rota das Artes, o novo roteiro turístico de Minas Gerais

Fabricio Bloisi deixa operação do iFood para assumir comando de grupo de investimentos Prosus

Conheça a CEO que nunca descansa, nem cobra salário – isso porque ela é uma inteligência artificial

Mais na Exame