Alt.bank entra na briga dos cartões e lança cartão de crédito com limite dinâmico

Fintech afirma que já são mais de 200 mil pessoas na lista de espera pelo recém-lançado cartão de crédito
Alt.bank: cartão de crédito (Alt.bank/Divulgação)
Alt.bank: cartão de crédito (Alt.bank/Divulgação)
M
Maria Clara Dias

Publicado em 05/07/2022 às 16:53.

Última atualização em 06/07/2022 às 11:31.

A fintech Alt.bank, que oferece conta digital e cartão de débito pré-pago gratuito, está de olho no mercado de crédito. Nesta terça-feira, a empresa fundada em 2019 pelo empreendedor britânico Brad Liebmann anunciou o lançamento de seu primeiro cartão de crédito no mercado brasileiro, o novücard.

Os planos da fintech em lançar um cartão de crédito já haviam sido antecipados pela empresa no final do ano passado, quando recebeu um aporte de US$ 5 milhões em rodada série A. De lá para cá, segundo a empresa, já são mais de 200 mil pessoas na fila de espera pelo produto, e cerca de 1,5 mil pessoas entram diaramente na lista.

Em janeiro deste ano, o produto foi anunciado ao mercado, mas apenas agora os primeiros cartões estão sendo enviados para uma lista seleta de clientes "premium", que terão, entre outros benefícios, ajuste dinâmico e flexível de limite — com valor máximo de R$ 20 mil.

O novo cartão também é isento de taxas, como anuidade e manutenção. Além disso, os saldos na conta digital dos usuários podem ser usados como extensão de seus limites de crédito e todos os clientes da fintech terão 2% de cashback em todas as compras nos primeiros 30 dias após abertura da conta.

Missão social

Por trás da conta e cartões gratuitos está a intenção de democratizar o acesso a crédito e outros serviços financeiros no Brasil e outros países emergentes, principal racional para a criação do Alt.bank. “Queria construir uma empresa não apenas bem-sucedida financeiramente, mas com algum propósito social”, disse Liebmann, fundador da empresa, em entrevista à EXAME em outubro de 2021, quando a empresa recebeu seu último aporte.

Além dos produtos gratuitos, a proposta da fintech é reduzir as taxas de juro na concessão de crédito como maneira de facilitar a inclusão financeira. O cartão, neste contexto, deve facilitar esse propósito.

“Ao incentivar os clientes a pagar o cartão integralmente todos os meses e acumular rendimentos — em vez de pagar taxas predatórias — ajudamos nossos clientes e suas famílias a construir uma ‘riqueza’ de longo prazo”, diz o CEO.