Acompanhe:
seloNegócios

A fabricante de genéricos Cimed quer ir para espaço. Mas por quê?

A empresa separou R$ 300 milhões para investimentos em pesquisa e desenvolvimento para os próximos cinco anos

Modo escuro

Continua após a publicidade
 (Germano Lüders/Exame)

(Germano Lüders/Exame)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 6 de dezembro de 2021 às, 18h22.

Última atualização em 6 de dezembro de 2021 às, 18h36.

A Cimed, a terceira maior fabricantes de medicamentos genéricos do Brasil, vai para o espaço. A empresa separou 300 milhões de reais para investimentos em pesquisa e desenvolvimento para os próximos cinco anos, e um dos projetos mais ousados da companhia é levar a proteína do vírus Sars-Cov-2 para estudos acima da órbita da Terra. A ideia é fazer com que o desenvolvimento científico se torne uma das forças da empresa, que planeja acelerar a elaboração de medicamentos.

Isso porque, segundo João Adibe, presidente da Cimed, as ações gravitacionais ajudam a diminuir o tempo do desenvolvimento dos remédios. No caso do vírus da covid-19, o objetivo é revelar a estrutura anatômica dele para desenvolver drogas que ajudem a reduzir a replicação do vírus. Isso acontece por meio da cristalização de proteínas no espaço, algo que já é feito há mais de duas décadas pela indústria. No fim das contas, com projetos como esse, a Cimed quer ser vista como uma empresa não só de medicamentos, mas de saúde e de tecnologia.

Assine a EXAME e conte com a ajuda dos maiores especialistas do mercado.

"Nosso olhar de longo prazo é nos transformar em uma healthtech e mostrar onde a indústria brasileira pode chegar", afirma Adibe.

Para realizar essas pesquisas, a empresa fez uma parceria com a companhia de logística Airvantis, que vai ser a responsável por levar os materiais para o espaço, assim como o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais, que é uma organização social ligada ao Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações para viabilizar o projeto, que foi nomeado de Cimed X.

De acordo com Adibe, esse tipo de iniciativa ajudará a empresa a criar mais produtos com o foco na longevidade. A empresa parte da premissa, vista em todo o setor, que o envelhecimento da população demandará mais medicamentos e vitaminas para essas pessoas.

Por isso, a companhia está próxima de inaugurar uma fábrica de 300 milhões de reais na região de Pouso Alegre, em Minas Gerais. Desta maneira, a fabricante conseguirá ampliar sua capacidade produtiva de 28 milhões para 40 milhões de comprimidos por mês. No futuro, a ideia é alcançar os 60 milhões.

Expansão

Com isso, a empresa quer seguir aumentando o faturamento. No ano passado, atingiu vendas de 2 bilhões de reais, sendo 65% vindas dos medicamentos e 35% de outros produtos de consumo, como vitaminas e itens de higiene e beleza. Para este ano, Adibe acredita que a empresa vai chegar a 2,3 bilhões de reais. Já em 2023, a ideia é chegar ao terceiro bilhão.

Lourival Stange, especialista na indústria farmacêutica e sócio da consultoria Solution, chama a atenção para alguns pontos da Cimed, como o fato de ter seu próprio centro de bioequivalência, o que permite uma velocidade maior para a criação de medicamentos genéricos. "Se o laboratório é bom e creditado pela Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária] isso traz uma vantagem competitiva muito grande para a empresa" afirma Stange.

Últimas Notícias

Ver mais
Como a Casa do Construtor fatura R$ 834 milhões alugando de furadeiras a betoneiras
seloNegócios

Como a Casa do Construtor fatura R$ 834 milhões alugando de furadeiras a betoneiras

Há 8 horas

Em negócio de R$ 20 milhões, empresa de SP compra startup para agilizar comércio no exterior
seloNegócios

Em negócio de R$ 20 milhões, empresa de SP compra startup para agilizar comércio no exterior

Há 15 horas

29% das empresas brasileiras fecham nos primeiros 5 anos; veja como a IA pode mudar essa realidade
seloNegócios

29% das empresas brasileiras fecham nos primeiros 5 anos; veja como a IA pode mudar essa realidade

Há 17 horas

Em expansão no Brasil, Globant é classificada como marca de TI com crescimento mais rápido do mundo
seloNegócios

Em expansão no Brasil, Globant é classificada como marca de TI com crescimento mais rápido do mundo

Há 17 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais