Mundo

Vulcão de Fogo entra em erupção na Guatemala

A erupção começou durante as primeiras horas da manhã, e nas próximas horas pode haver um aumento das emissões

Em dezembro passado, uma erupção do mesmo vulcão levou as autoridades a fechar o aeroporto da capital (AFP/AFP)

Em dezembro passado, uma erupção do mesmo vulcão levou as autoridades a fechar o aeroporto da capital (AFP/AFP)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 4 de maio de 2023 às 15h16.

Última atualização em 4 de maio de 2023 às 15h38.

O vulcão de Fogo, o mais ativo da América Central e próximo à capital da Guatemala, entrou em erupção nesta quinta-feira, 4 e, segundo as autoridades, expulsou cinzas e lava.

"Confirma-se um aumento da atividade do Vulcão de Fogo", comunicou a Coordenação de Redução de Desastres (Conred), entidade responsável pela proteção civil.

A erupção começou durante as primeiras horas da manhã e "nas próximas horas" pode haver um aumento das emissões, "formando colunas mais altas de gás e cinzas, explosões violentas carregadas de cinzas e fluxos de lava em outras direções", acrescentou.

Impacto da erupção do Vulcão de Fogo

Com base em um boletim do Instituto de Vulcanologia, a Conred afirmou que a lava pode atingir cerca de 5 ou 7 quilômetros da cratera, por isso manterá monitoramento constante devido à proximidade de algumas comunidades.

As colunas de gás e cinzas se dispersaram na direção sudoeste do gigante vulcão de 3.763 metros de altura, localizado 35 km a sudoeste da Cidade da Guatemala, entre os departamentos de Escuintla, Chimaltenango e Sacatepéquez.

Fechamento do aeroporto da Guatemala

Em dezembro passado, uma erupção do mesmo vulcão levou as autoridades a fechar o aeroporto da capital e uma movimentada rodovia que liga a cidade colonial de Antigua Guatemala ao sul do país.

O Vulcão de Fogo causou em 3 de junho de 2018 uma avalanche de material escaldante, que devastou a comunidade San Miguel Los Lotes, em Escuintla, e parte dessa rodovia em Sacatepéquez. O saldo foi de 215 mortos e um número similar de desaparecidos.

O vulcão tem a reputação de ser o mais ativo da América Central, desde que os conquistadores espanhóis chegaram há cerca de 500 anos.

Além dele, na Guatemala também estão ativos os vulcões Santiaguito (oeste) e Pacaya (sul).

Acompanhe tudo sobre:VulcõesGuatemala

Mais de Mundo

EUA temem que Domo de Ferro não aguente guerra contra Hezbollah

Modi comanda sessão de ioga em região indiana de maioria muçulmana

Elon Musk vai receber bônus de R$ 305 bilhões como remuneração de acionistas da Tesla

'Cada gota conta': Moradores de Bogotá são afetados por racionamento de água há dois meses

Mais na Exame