Mundo

Venezuela fará eleição para novo Parlamento em 6 de dezembro

A oposição controla o Parlamento desde 2016, e o atual chefe do Legislativo, Juan Guaidó, é reconhecido por muitos como o legítimo líder da Venezuela

Venezuela: oposição diz que o partido de Maduro irá fraudar a eleição (Alexander MARTINEZ/AFP)

Venezuela: oposição diz que o partido de Maduro irá fraudar a eleição (Alexander MARTINEZ/AFP)

R

Reuters

Publicado em 2 de julho de 2020 às 06h34.

Última atualização em 2 de julho de 2020 às 16h52.

A Venezuela vai realizar uma eleição em 6 de dezembro para escolher os novos integrantes do Parlamento, afirmou o conselho eleitoral do país na quarta-feira, estabelecendo oficialmente uma data para uma votação que a oposição diz será fraudada em favor do Partido Socialista.

A oposição controla o Parlamento desde 2016, e o atual chefe do Legislativo, Juan Guaidó, foi reconhecido por dezenas de países como o legítimo líder do país após a acirrada reeleição de 2018 do presidente Nicolás Maduro.

"Anunciamos para 6 de dezembro de 2020 o processo eleitoral da Assembleia Nacional para o período 2021-2026", disse a chefe do conselho eleitoral, Indira Alfonzo, em uma transmissão na televisão.

A oposição se recusa a reconhecer as decisões do conselho eleitoral recentemente nomeado, alegando que ele foi ilegalmente designado pelo Supremo Tribunal de Justiça pró-governo.

"Os venezuelanos não participarão de uma farsa, como em maio de 2018", escreveu Guaidó no Twitter, referindo-se à reeleição de Maduro que foi amplamente boicotada pela oposição. "Escolhemos viver com dignidade e democracia."

Os críticos de Maduro também observam que o tribunal superior interveio na liderança dos principais partidos da oposição, colocando-os nas mãos de membros dos partidos que foram expulsos por acusações de que eram aliados dos governistas.

Perder o controle do Parlamento complicaria a posição de Guaidó.

Acompanhe tudo sobre:EleiçõesJuan GuaidóNicolás MaduroVenezuela

Mais de Mundo

Por que o apoio financeiro de Hollywood a Biden pode estar ameaçado

Quantidade de poeira no ar caiu em 2023, diz agência da ONU

'Praticamente nada' impedirá a guerra de Israel en Gaza, diz juíza sul-africana

Presidente da Colômbia pede mais 7 anos à ONU para implementar acordos de paz no país

Mais na Exame