Mundo

Trem de carvão da Vale é atacado em Moçambique

Um trem de carvão do grupo de mineração foi atacado em Moçambique e o condutor ficou ferido, segundo o governo


	 Trem da Vale: governo atribuiu a ação a movimento rebelde
 (Divulgação/ Agência Vale)

 Trem da Vale: governo atribuiu a ação a movimento rebelde (Divulgação/ Agência Vale)

DR

Da Redação

Publicado em 2 de abril de 2014 às 10h57.

Maputo - Um trem de carvão do grupo de mineração brasileiro Vale foi atacado nesta terça-feira em Moçambique e o condutor ficou ferido, anunciou o governo, que atribuiu a ação ao movimento rebelde Renamo.

"O Renamo atacou um trem que transportava carvão e atirou na perna do condutor", disse o vice-ministro do Interior, José Mandra, à rádio Moçambique.

O ataque aconteceu na terça-feira às 21H00 (16H00 de Brasília) na província de Sofala (região central do país), em um trecho da via que liga a mina de Moatize ao porto de Beira, segundo o vice-ministro.

O movimento rebelde, que também é a principal força de oposição no país, negou responsabilidade no ataque na linha ferroviária, conhecida como Sena, estratégica para as empresas de mineração.

"Desde que o conflito começou, Renamo nunca atacou a via Sena. Por que faríamos isso hoje, quando chegamos a um acordo?", questionou Antonio Muchunga, porta-voz do grupo.

O movimento ameaçou no ano passado executar ataques contra instalações importantes, incluindo esta linha ferroviária, por onde circula o carvão a partir da província de Tete, na região nordeste, até o porto de Beira.

O ataque aconteceu na terça-feira à noite em uma área entre as cidades de Muanza e Dondo, na província de Sofala, centro do país.

O governo e o Renamo estão em processo de negociação e pareciam próximos de um acordo de trégua.

*Atualizada às 10h54 do dia 02/04/2014

Acompanhe tudo sobre:ÁfricaEmpresasEmpresas abertasEmpresas brasileirasIndústriaMineraçãoMoçambiqueSiderúrgicasTransportesTrensVale

Mais de Mundo

Para aumentar inovação, Xangai emite regulamento para gestão de projetos de tecnologias disruptivas

Aprovação de Lei de Bases marca nova fase de Milei, diz analista argentino

Irã está expandindo suas capacidades nucleares, diz agência de energia atômica da ONU

Inflação na Argentina cai pela metade e atinge 4,2% em maio

Mais na Exame