Mundo

Terremoto de 4,7 graus atinge cidade de Nova York

Tremor foi sentido em prédios da cidade e moradores receberam alertas; epicentro foi em Nova Jersey

Nova York: imagem da cidade em setembro de 2023 (Leandro Fonseca/Exame)

Nova York: imagem da cidade em setembro de 2023 (Leandro Fonseca/Exame)

Rafael Balago
Rafael Balago

Repórter de macroeconomia

Publicado em 5 de abril de 2024 às 11h44.

Última atualização em 5 de abril de 2024 às 16h55.

Um tremor de terra de 4,7 graus de magnitude atingou a cidade de Nova York na manhã desta sexta, 5. Não houve registro de mortos ou feridos.

O terremoto teve o epicentro em White House Station, no estado de Nova Jersey, uma pequena cidade a cerca de 70 km da cidade de Nova York. O tremor ocorreu a 5 km de profundidade, às 10h23 na hora local (11h23 em Brasília), segundo o USGS (Serviço Geológico dos Estados Unidos).

De acordo com o New York Times, o tremor foi sentido em vários prédios de Nova York e sirenes dispararam pela cidade. Moradores receberam alertas nos celulares para buscarem proteção.

O ligeiro tremor foi sentido em vários bairros dos distritos de Manhattan e Brooklyn, provocando uma avalanche de mensagens nas redes sociais.

Dominika Uniejewska, gerente de uma loja em Lebanon, Nova Jersey, epicentro do terremoto, disse à AFP que "estava dormindo" quando o terremoto aconteceu. "No início não entendi o que estava acontecendo porque nunca havia vivenciado um terremoto tão forte".

"A casa toda tremia muito, a cama tremia e fazia barulho, um barulho muito alto", disse.

Os moradores da cidade publicaram fotos de cadeiras de jardim tombadas com uma mensagem irônica: "Vamos reconstruí-la".

Mas as autoridades pediram cautela. "Não temos informações neste momento sobre danos significativos (mas) continuamos a avaliar a situação", escreveu Fabien Levy, porta-voz do prefeito de Nova York, Eric Adams, na rede X.

A Agência Americana de Aviação Civil (FAA) alertou que os aeroportos do nordeste podem encontrar dificuldades, citando os de Nova York, Nova Jersey, Filadélfia e Baltimore, em Maryland. O aeroporto JFK de Nova York informou na rede X que estava aberto e operacional.

Kathy Hochul, governadora de Nova York, disse que o tremor foi sentido em várias partes do estado. "Minha equipe está avaliando os impactos e qualquer dano que possa ter ocorrido, e vamos atualizar o público ao longo do dia", disse, em uma rede social.

O tremor foi sentido também em cidades como Filadélfia e Boston. Vários aeroportos da região suspenderam pousos e decolagens. Uma sessão do Conselho de Segurança da ONU, que fica em Nova York, estava em andamento durante o tremor e foi interrompida brevemente.

A região nordeste dos EUA, onde ocorreu o tremor, é uma das áreas mais populosas do país e concentra cidades com Nova York, Nova Jersey, Boston, Filadélfia e a capital, Washington.

A região não costuma registrar terremotos fortes. Um tremor de 2,2 graus de magnitude, na escala Ritchter, que vai até 9, foi sentido em partes de Nova York em maio de 2023. Outro tremor, de 5,8 graus, atingiu a Virgínia em 2011 e levou a evacuações em Manhattan. O terremoto mais forte a atingir a cidade foi em 1884, com 5,2 graus, segundo o New York Times.

Com AFP.

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)Terremotos

Mais de Mundo

Em crise, Butão quer reerguer economia através da 'felicidade bruta'

Como a IA pode afetar a eleição nos EUA?

Otan anuncia ‘muro de drones’ em sua fronteira com a Rússia após nova provocação de Moscou

Tratado para preparar o mundo para a próxima pandemia termina sem acordo

Mais na Exame