Mundo

Temperatura na capital da Índia bate recorde e supera 50ºC

O registro aconteceu nesta quarta-feira, em Nova Dhéli e é do Departamento Meteorológico da Índia (DMI)

Índia será o país mais populoso do mundo no final de abril, diz ONU (AFP/AFP)

Índia será o país mais populoso do mundo no final de abril, diz ONU (AFP/AFP)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 29 de maio de 2024 às 10h53.

Última atualização em 29 de maio de 2024 às 11h04.

A temperatura na capital indiana, Nova Délhi, bateu o recorde, a 52,3ºC, informou nesta quarta-feira, 29, o Departamento Meteorológico da Índia (DMI), que também advertiu para o risco de escassez de água.

A agência governamental, que destacou "severas condições de calor", registrou o recorde na terça-feira em duas áreas do subúrbio da cidade, Narela e Mungeshpur.

O DMI prevê temperaturas similares para quarta-feira.

A onda de calor no centro e noroeste da Índia "deve diminuir progressivamente" a partir de quinta-feira, acrescentou o DMI.

Em maio de 2022, algumas áreas de Nova Délhi registraram 49,2ºC, informou na época a imprensa indiana.

As temperaturas elevadas não são incomuns nesta época do ano na Índia, mas os estudos científicos indicam que a mudança climática tornou as ondas de calor mais prolongadas, frequentes e intensas. 

As autoridades de Nova Délhi também alertaram para o risco de falta de água devido ao calor. O abastecimento foi reduzido em algumas áreas.

A ministra da Água, Atishi Marlena, pediu à população que assuma a "responsabilidade coletiva" de evitar o desperdício de água, informou o jornal Times of India.

"Para resolver o problema da escassez de água, adotamos uma série de medidas, como reduzir o fornecimento de água de duas vezes ao dia para uma vez ao dia em muitas áreas", declarou Atishi, segundo o jornal Indian Express.

"A água economizada será racionada e distribuída às áreas que enfrentam escassez de água, onde o abastecimento dura apenas 15 a 20 minutos por dia", acrescentou.

O nível do rio Yamuna, um afluente do Ganges que atravessa Nova Délhi, diminui consideravelmente durante os meses mais quentes, o que deixa a capital muito dependente dos estados agrícolas vizinhos de Haryana e Uttar Pradesh, que têm necessidades significativas de água.

O DMI também destacou o impacto do calor na saúde, em particular das crianças, idosos e pessoas com doenças crônicas.

As temperaturas mais elevadas de terça-feira foram registradas no estado do Rajastão, com 50,5ºC.
O Paquistão também registrou um pico de temperatura de 53 graus no domingo em Sind, província na fronteira com a Índia.

O Departamento Meteorológico do Paquistão espera uma queda da temperatura a partir de quarta-feira, mas alertou para novas ondas de calor em junho.

Os estados de Bengala Ocidental e Mizoram, no nordeste indiano, foram afetados por fortes ventos e chuvas na passagem do ciclone Remal, que deixou 65 mortos em Bangladesh e na Índia no fim de semana.

O Departamento Meteorológico de Bangladesh afirmou que o ciclone foi um dos mais longos já registrado no país e atribuiu a duração excepcional às mudanças climáticas.

Acompanhe tudo sobre:Clima

Mais de Mundo

Macron defende abrir negociações de adesão da Ucrânia à UE até o fim deste mês

Polícia de Los Angeles prende quadrilha especializada em roubar Lego

Putin nega interesse em usar armas nucleares contra Ucrânia, mas não descarta mudanças

Mais na Exame