Acompanhe:

A Suprema Corte dos Estados Unidos parece inclinada a ratificar uma lei federal que proíbe que pessoas com ordens de restrição por violência doméstica possuam armas de fogo.

Na decisão, a Corte, dominada por conservadores, afirmou que permitirá apenas exceções "razoáveis" ao direito de portar armas, garantido na Segunda Emenda da Constituição, e se baseará em precedentes históricos para regular as armas de fogo.

Tribunais de instâncias inferiores têm tido dificuldade para determinar se as restrições apresentadas a eles são consistentes com os precedentes na "história e tradições dos Estados Unidos", que remontam ao final dos séculos XVIII e XIX.

Com base nessa decisão, um tribunal de apelações conservador determinou em março que a lei federal que proíbe a posse de armas por pessoas com restrições devido à violência doméstica é inconstitucional, por falta de um precedente histórico.

A procuradora-geral Elizabeth Prelogar pareceu encontrar uma audiência receptiva nesta terça-feira entre os juízes liberais e conservadores sobre a ratificação da lei federal.

"Uma mulher que vive em um lar com um agressor doméstico tem cinco vezes mais probabilidade de ser morta se ele tiver acesso a uma arma", disse Prelogar, que acrescentou que "o Congresso deve desarmar aqueles que não são cidadãos responsáveis e respeitadores da lei".

Ela citou casos de menores de idade, pessoas com doenças mentais, criminosos, viciados em drogas entre aqueles com proibição de possuir armas.

No caso apresentado à Corte, a polícia recuperou uma pistola e um rifle durante uma inspeção na casa de Zackey Rahimi, no Texas, que esteve envolvido em cinco tiroteios em dois meses e foi alvo de uma ordem de restrição por violência doméstica de sua ex-namorada, que o proibia de possuir armas.

Cerca de 100 ativistas pelo controle de armas protestaram com cartazes com a mensagem "Desarmem agressores domésticos" do lado de fora da Suprema Corte, enquanto os juízes ouviam argumentos orais no caso por cerca de 90 minutos.

Espera-se que a Corte decida sobre o assunto no próximo ano.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Vazamento mostra que empresa chinesa hackeou governos estrangeiros
Mundo

Vazamento mostra que empresa chinesa hackeou governos estrangeiros

Há 3 horas

Ortega justifica destituição da nacionalidade nicaraguense de opositores
Mundo

Ortega justifica destituição da nacionalidade nicaraguense de opositores

Há 3 horas

Vice-diretora do FMI começa visita à Argentina em meio a forte tensão social
Mundo

Vice-diretora do FMI começa visita à Argentina em meio a forte tensão social

Há 4 horas

Biden anuncia novo perdão de dívidas estudantis nos EUA
Mundo

Biden anuncia novo perdão de dívidas estudantis nos EUA

Há 4 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais