Soldados abrem fogo contra manifestantes na RCA

Soldados da Missão da União Africana na República Centro-Africana abriram fogo contra uma manifestação em Bangui, matando uma pessoa

Bangui – Soldados do Chade da Missão da União Africana na República Centro-Africana (Misca) abriram fogo nesta segunda-feira contra uma manifestação em Bangui, matando uma pessoa, informou a Cruz Vermelha do país.

Os manifestantes, de religião cristã, haviam se concentrado na entrada do aeroporto da capital da República Centro-Africana (RCA) para pedir a renúncia do presidente do país, Michel Djotodia, e a saída dos militares chadianos da Misca.

Além disso, as centenas de participantes da concentração mostravam seu apoio à “Operação Sangaris”, realizada por soldados franceses enviados ao país e que tenta desarmar as milícias rivais Seleka e “Anti-Balaka”, cujos confrontos sumiram em meio ao caos e à violência na RCA.

“Dois veículos dos militares chadianos da Misca intervieram, se lançando contra a multidão e disparando contra os manifestantes”, relatou à Efe uma testemunha.

“A intervenção dispersou a manifestação, mas o povo, enfurecido, prometeu voltar ao local”, disse outra testemunha. A apuração provisória da Cruz Vermelha local fala em um morto e um ferido.

Grande parte da população da RCA, majoritariamente cristã, rejeita a presença no país dos soldados chadianos da Misca, que acusa de cumplicidade com os ex-rebeldes de Seleka, que derrubaram com um golpe de Estado o ex-presidente François Bozizé em 24 de março.

A Seleka – formada por muçulmanos e que chegou ao poder liderada pelo atual presidente, Michel Djotodia, a quem continua sendo leal – conta entre suas fileiras com vários mercenários chadianos e sudaneses.