Acompanhe:

Sirkis se reúne com campanha do PT para discutir apoio

Questão será definida em plenária nacional no domingo

Modo escuro

Continua após a publicidade
EXAME.com (EXAME.com)

EXAME.com (EXAME.com)

D
Da Redação

Publicado em 18 de outubro de 2010 às, 13h01.

São Paulo - O PV iniciou hoje as discussões com PT e PSDB sobre eventual apoio da sigla no segundo turno da eleição para presidente, questão que será definida em plenária nacional no domingo. Pela manhã, o vereador Alfredo Sirkis (PV-RJ), ex-coordenador da campanha da senadora Marina Silva (PV-AC) à sucessão presidencial, reuniu-se em Brasília com o assessor especial para Assuntos Internacionais da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, em encontro solicitado pelo PT.

O objetivo do encontro, segundo Sirkis, foi esclarecer questões sobre a "Agenda por um Brasil Justo e Sustentável", conjunto de dez iniciativas que o PV propõe que sejam adotadas pelos candidatos do PT, Dilma Rousseff, e do PSDB, José Serra, num eventual governo federal.

Além de Sirkis, reuniu-se com Garcia outro ex-coordenador da campanha de Marina, o ex-presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) Basileu Margarido Neto. Ambos foram escalados pelo PV para discutir com PT e PSDB um eventual apoio num segundo turno. No encontro de hoje, de acordo com o vereador, Garcia disse que, das dez propostas elaboradas pelo PV, cinco seriam bem recebidas pelo PT.

Conforme Sirkis, a campanha de Dilma quis maiores informações acerca de três iniciativas: a destinação de valor correspondente a 7% do Produto Interno Bruto (PIB) para a área da educação, o investimento de 10% do orçamento federal na área da saúde e a criação de um fundo nacional de segurança para complementar o salário de policias civis e militares. "Nós ficamos de aprofundar esses pontos", disse.

De acordo com Sirkis, duas questões ficaram em aberto e devem ser discutidas até sábado pela campanha do PT. A mais polêmica é o comprometimento com um veto presidencial ao projeto do novo Código Florestal. Sirkis relatou que Garcia esclareceu que a bancada do PT eleita ao Congresso tende a ser favorável à posição defendida pelo PV, mas que a questão seria discutida pela campanha de Dilma.

Usinas nucleares

Outro ponto que deve ser tratado pelos petistas nos próximos dias é a proposta de uma moratória da construção de usinas nucleares que ainda não tenha sido autorizada pelo Congresso, ou seja, o programa brasileiro pararia em Angra 3. De acordo com Sirkis, a campanha de Dilma ficou de entregar um documento formal sobre sua posição em relação às propostas até o sábado, véspera da plenária do PV em São Paulo. A expectativa do PV é de que até sábado seja realizado encontro semelhante com lideranças do PSDB.

Leia mais sobre eleições

Acompanhe as notícias de economia do site EXAME no Twitter

Últimas Notícias

Ver mais
Coreia do Sul inicia eleições legislativas cruciais para o presidente
Mundo

Coreia do Sul inicia eleições legislativas cruciais para o presidente

Há 2 dias

Após janela partidária, PSDB fica sem vereador em 12 capitais; veja lista
Brasil

Após janela partidária, PSDB fica sem vereador em 12 capitais; veja lista

Há 4 dias

A nova direita brasileira e o pensamento econômico liberal, segundo pesquisadora da Cebrap
Brasil

A nova direita brasileira e o pensamento econômico liberal, segundo pesquisadora da Cebrap

Há 5 dias

Aliados de Nunes dizem que filiação de Aldo Rebelo ao MDB dificulta sua indicação para vice
Brasil

Aliados de Nunes dizem que filiação de Aldo Rebelo ao MDB dificulta sua indicação para vice

Há uma semana

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais