Mundo

Reino Unido eliminará 50 mil empregos em seu sistema de saúde, diz relatório

Demissões obedecem aos cortes gerais nos gastos públicos planejados pelo governo de David Cameron

O primeiro-ministro David Cameron: 50 mil desempregados no sistema de saúde (Getty Images)

O primeiro-ministro David Cameron: 50 mil desempregados no sistema de saúde (Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 23 de fevereiro de 2011 às 08h11.

Londres - Mais de 50 mil empregos serão eliminados no Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido, segundo uma análise do site "False Economy" publicada nesta quarta-feira pelo diário "The Guardian".

Apenas na Inglaterra serão eliminados 24 mil postos em hospitais, além de outros dez mil em centros de assistência primária e seis mil em centros de saúde mental.

As demissões, que obedecem aos cortes gerais nos gastos públicos planejados pelo Governo de David Cameron, afetam tanto a médicos como a enfermeiras e dentistas, além de funcionários administrativos.

Segundo a Associação Médica Britânica, os cortes previstos terão um impacto negativo no conjunto dos trabalhadores do setor.

O porta-voz para temas de saúde da oposição trabalhista, John Healey, acusou o Governo conservador-liberaldemocrata de estar tentando uma custosa reorganização da Saúde britânica.

"Os tories (conservadores) pediram que o Parlamento votasse uma soma adicional de 1,8 bilhão de libras (2,140 bilhões de euros) para essa reorganização administrativa. Com essa quantia, seria possível pagar quase 15 mil enfermeiras durante três anos", criticou o deputado trabalhista

Acompanhe tudo sobre:DesempregoEuropaPaíses ricosReino UnidoServiçosServiços de saúdeSetor de saúde

Mais de Mundo

Economia chinesa continua a se recuperar e melhorar, diz porta-voz do governo

Governo argentino suspende sites e redes sociais de rádio e TV públicas

China aumenta investimentos na Alemanha com foco em energias renováveis

China emitirá 1 trilhão de yuans em títulos especiais de longo prazo em 2024

Mais na Exame