Mundo

Presidente da Rússia diz que casamento só é possível entre homem e mulher

Putin defendeu a inclusão desse princípio na Constituição e afirmou que não haverá casamento gay durante seu governo

Putin: "Quanto ao 'pai número um' e 'pai número dois', enquanto for presidente, não aceitaremos isso" (Adam Berry / Correspondente/Getty Images)

Putin: "Quanto ao 'pai número um' e 'pai número dois', enquanto for presidente, não aceitaremos isso" (Adam Berry / Correspondente/Getty Images)

A

AFP

Publicado em 14 de fevereiro de 2020 às 16h00.

O presidente russo, Validmir Putin, declarou nesta quinta-feira (13) que o casamento só é possível entre "um homem e uma mulher", apoiando a ideia de estabelecer este princípio na Constituição russa.  

"O casamento é uma união entre um homem e uma mulher", disse Putin durante uma reunião com um grupo de funcionários do Kremlin sobre a reforma constitucional proposta por ele em janeiro.

"É uma boa ideia e precisa ser apoiada. Só temos que refletir sobre como e onde sugeri-la", ressaltou, diante de uma proposta feita pela conservadora Olga Batalina de fixar na Constituição o apoio do governo aos "valores familiares tradicionais".

Segundo Batalina, o conceito de família está ameaçado atualmente por causa da tentativa de incluir termos como "pai número um" e "pai número dois".

"Não é uma fantasia, é uma realidade em muitos países", defendeu Batalina, que representa o partido Rússia Unida na Câmara Baixa do Parlamento (Duma), e que no passado apoiou ativamente a lei que proíbe "propagandas com conteúdo homossexual" no país.

"Quanto ao 'pai número um' e 'pai número dois' (...), enquanto for presidente, não aceitaremos isso. Teremos papai e mamãe", finalizou o presidente russo.

Acompanhe tudo sobre:LGBTRússiaVladimir Putin

Mais de Mundo

Trump pede apoio de evangélicos nas eleições de novembro

Bombardeio aéreo russo atinge prédio residencial e deixa três mortos e 37 feridos, afirma Ucrânia

Egito quer penalizar empresas turísticas pelas mortes de peregrinos em Meca

Governo colombiano inicia diálogo com dissidência das Farc

Mais na Exame