Mundo

Premiê do Reino Unido, Rishi Sunak, dissolve o Parlamento e convoca eleições antecipadas

Anteriormente, o pleito estava previsto para janeiro de 2025

Rishi Sunak, premiê do Reino Unido (AFP/AFP Photo)

Rishi Sunak, premiê do Reino Unido (AFP/AFP Photo)

Mateus Omena
Mateus Omena

Repórter da Home

Publicado em 22 de maio de 2024 às 13h32.

Última atualização em 22 de maio de 2024 às 13h43.

Tudo sobreReino Unido
Saiba mais

O primeiro-ministro do Reino Unido, Rishi Sunak, dissolveu nesta quarta-feira, 22, o Parlamento e anunciou eleições antecipadas no país.

De acordo com Sunak, as novas eleições ocorrerão em 4 de julho. Pelo calendário atual, o pleito estava previsto para janeiro de 2025. Em uma declaração feita em frente à residência oficial, Downing Street, em Londres, o premiê não esclareceu se irá se candidatar à reeleição.

O anúncio impactou o partido de Sunak, o Partido Conservador. Ele assumiu o cargo no final de 2022 após a renúncia do ex-primeiro-ministro Boris Johnson. Desde o início de seu mandato ele já havia expressado a intenção de convocar eleições gerais em 2024, mas a expectativa era de que isso ocorresse apenas no final do ano.

De acordo com o jornal inglês The Guardian, Sunak decidiu antecipar o pleito após a divulgação de novos dados econômicos positivos para seu governo nesta semana. A publicação também informou que membros do partido convenceram o premiê de que esses números não melhorariam até o fim do ano.

Por outro lado, as pesquisas de intenção de voto no país indicam que o líder do Partido Trabalhista, Keir Starmer, é o favorito para vencer o próximo pleito. Se isso ocorrer, os trabalhistas retornarão ao poder após 14 anos de governo do Partido Conservador.

Mandato conturbado

Rishi Sunak, de 44 anos, já atuou como Chanceler do Tesouro de 2020 a 2022 e Secretário-Chefe da instituição de 2019 a 2020.

Ele assumiu a liderança do governo britânico após a tentativa fracassada da ex-primeira-ministra Liz Truss de substituir Boris Johnson, que deixou o cargo devido a escândalos relacionados à sua participação em festas durante o período de quarentena no Reino Unido por conta da pandemia de Covid-19.

Pela constituição do país, quando um primeiro-ministro renuncia, seu partido pode eleger um substituto internamente, em vez de convocar eleições gerais. Na época, Truss foi a escolha do Partido Conservador para substituir Johnson. No entanto, ela permaneceu no cargo por apenas 44 dias.

Em uma nova votação interna, os conservadores elegeram Sunak, que assumiu com a promessa de conter a inflação e impulsionar a economia. O governo de Sunak também foi marcado por políticas conservadoras, como o projeto de enviar imigrantes ilegais à força para Ruanda, embora o político seja filho de imigrantes indianos.

Acompanhe tudo sobre:Reino Unido

Mais de Mundo

Com redução de neve no Himalaia, 25% da população global pode enfrentar escassez de água em 2024

Eleição nos EUA: Anúncio da campanha de Biden chama a atenção para status de criminoso de Trump

Empresas chinesas focam em aumentar vendas com patrocínio na Olimpíada de Paris

Vendas no varejo de bens de consumo social aumentam 3,7% na China

Mais na Exame