Acompanhe:

OEA: América e Caribe longe de acabar com fome e pobreza

Há cerca de 53 milhões de pessoas famintas, sendo que 9% da população da região não têm acesso ao mínimo de calorias

Modo escuro

Continua após a publicidade
O secretário lembrou ainda que o problema da fome não está relacionado à falta de produção de alimentos, mas à falta de poder aquisitivo para comprar comida (Vladimir Platonow/Abr)

O secretário lembrou ainda que o problema da fome não está relacionado à falta de produção de alimentos, mas à falta de poder aquisitivo para comprar comida (Vladimir Platonow/Abr)

R
Renata Giraldi

Publicado em 4 de junho de 2012 às, 08h53.

Brasília – Pelo menos 300 milhões nas Américas, o equivalente a 34% da população, sofrem em decorrência dos problemas causados pela pobreza, alertou o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, na abertura da 42ª Assembleia Geral da OEA, na Bolívia. Segundo ele, o continente está distante de conseguir alcançar as metas de redução da pobreza e da fome.

Insulza lembrou que pelas últimas estatísticas, na América Latina e no Caribe há cerca de 53 milhões de pessoas famintas, sendo que 9% da população da região não têm acesso ao mínimo de calorias. De acordo com ele, menos de 50% dos que vivem em áreas rurais estão abaixo da linha de pobreza, embora a produção de alimentos esteja cada vez melhor.

"Não estamos [infelizmente] a caminho de cumprir a meta de reduzir à metade o número de pessoas famintas até 2015 [proposta contida nas Metas de Desenvolvimento do Milênio das Nações Unidas]”, lamentou o secretário.

Para Insulza, não há razão alguma para essa situação continuar. "Esse é um continente que deve, pelo menos razoavelmente, alimentar todas as pessoas, pois tem condições globais [no que se refere à produção de alimentos] para isso”.

O secretário lembrou ainda que o problema da fome não está relacionado à falta de produção de alimentos, mas à falta de poder aquisitivo para comprar comida. Paralelamente à assembleia da OEA, foi realizada ontem sessão para discutir temas como educação, saúde, inclusão social e qualidade de vida.

A 42ª Assembleia Geral da OEA ocorre no município de Tiquipaya próximo a Cochabamba, a 412 quilômetros de La Paz. As discussões seguem até o dia 8.

Últimas Notícias

Ver mais
Brasil vai colher frutos por liderar regulação de cripto na América Latina, diz executiva da Ripple
Future of Money

Brasil vai colher frutos por liderar regulação de cripto na América Latina, diz executiva da Ripple

Há um dia

"Papel das empresas no combate à fome é fundamental", diz diretora do Pacto contra Fome
seloNegócios

"Papel das empresas no combate à fome é fundamental", diz diretora do Pacto contra Fome

Há 2 dias

Venezuela acusa EUA de tentar 'desprestigiar' eleições e repudia questionamentos
Mundo

Venezuela acusa EUA de tentar 'desprestigiar' eleições e repudia questionamentos

Há 2 semanas

Esta empresa chegou há 2 anos no Brasil e agora quer aportar R$ 100 milhões por aqui. O motivo: a IA
seloNegócios

Esta empresa chegou há 2 anos no Brasil e agora quer aportar R$ 100 milhões por aqui. O motivo: a IA

Há 2 semanas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais