Mundo

O que diz o FMI sobre a economia da China?

Fundo reviu perspectivas para o país nesta semana

 (Tingshu Wang/AFP)

(Tingshu Wang/AFP)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 31 de maio de 2024 às 17h25.

Última atualização em 31 de maio de 2024 às 18h17.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) aumentou nesta semana para 5% a previsão de crescimento da China para 2024, citando medidas tomadas por Pequim para estimular sua economia.

"O crescimento econômico da China deve se manter resiliente em 5% em 2024 e desacelerar para 4,5% em 2025”, apontou o Fundo, acrescentando que a projeção foi “impulsionada pelos dados sólidos do PIB no primeiro trimestre e pelas medidas políticas recentes".

O órgão havia projetado um crescimento de 4,6% para este ano, enquanto autoridades chinesas anunciaram, em março, uma meta de crescimento de cerca de 5%.

A economia chinesa enfrentou nos últimos anos uma crise de endividamento prolongada do setor imobiliário, que representa um quarto do PIB. O crescimento também foi afetado pelos gastos baixos dos consumidores e pela deflação persistente.

O FMI viu com bons olhos as medidas recentes do governo para estimular o mercado da habitação. “As correções em curso no mercado residencial, necessárias para colocar o setor numa trajetória mais sustentável, devem continuar”, indicou o órgão.

O Fundo acrescentou, no entanto, que “um pacote de políticas mais amplo facilitaria uma transição mais eficiente e menos dispendiosa, que protegeria [a economia chinesa] dos riscos de uma queda".

Acompanhe tudo sobre:ChinaFMI

Mais de Mundo

Com margem estreita, Milei tenta aprovar pacote de reformas no Senado argentino

Às vésperas do G7, EUA anuncia mais sanções contra Rússia pela guerra na Ucrânia

Gorjetas no exterior: dicas para viajar sem estresse

Milei retira Aerolíneas e Correios de lista de privatizações para tentar aprovar Lei de Bases

Mais na Exame