Mundo
Acompanhe:

Nova York reabre praias após longo recuperação por "Sandy"

Após o "Sandy", que deixou em outubro 48 mortos em Nova York, os calçadões e as áreas litorâneas ficaram destruídas ou cheias de escombros e árvores caídas


	Região de Nova York destruída após o furacão Sandy: segundo a prefeitura informou, poder reabrir as praias foi um dos projetos de reconstrução "mais difíceis, complexos e delicados" realizados na cidade nos últimos anos.
 (Spencer Platt/AFP)

Região de Nova York destruída após o furacão Sandy: segundo a prefeitura informou, poder reabrir as praias foi um dos projetos de reconstrução "mais difíceis, complexos e delicados" realizados na cidade nos últimos anos. (Spencer Platt/AFP)

D
Da Redação

Publicado em 24 de maio de 2013, 16h58.

Nova York - Após vários meses de trabalho contra o tempo para reconstruir sua região litorânea, a mais danificada pela passagem do furacão "Sandy", a cidade de Nova York reabrirá neste fim de semana todas as suas praias embora a recuperação precisará continuar nos próximos meses.

"Há alguns meses, as praias de nossa região eram cenário da devastação trágica causada pelo furacão "Sandy". Como prometemos, as oito praias públicas de nossa cidade serão abertas", anunciou hoje o prefeito da cidade, Michael Bloomberg, durante a realização neste fim de semana do Memorial Day.

Após a mobilização em massa dos funcionários de parques da cidade e de milhares de voluntários e com um investimento de US$ 270 milhões, os mais de 22 quilômetros de praia da "Big Apple" estarão abertas ao público a partir de amanhã.

Na península de Rockaway, uma das áreas mais devastadas pelo furacão "Sandy" e uma das mais turísticas da cidade durante o verão, os operários trabalharam intensamente desde março para que tudo estivesse pronto na nova temporada de praia.

Para facilitar o acesso à praia nas áreas em que a orla ficou destruída, foram criadas "ilhas" artificiais e foram devolvidos à costa os milhares de metros cúbicos de areia que a tempestade levou.


Após o "Sandy", que deixou em outubro 48 mortos em Nova York, os calçadões e as áreas litorâneas de lazer ficaram destruídas ou cheias de escombros e árvores caídas, e até partes dos píeres foram arrancadas pelas fortes rajadas de vento.

Nas praias do Queens e do Brooklyn, assim como Brighton Beach e Coney Island, também foram montadas instalações modulares mais resistentes às tempestades, que serão utilizadas como estações de salva-vidas e alguns de seus píeres foram reconstruídos.

Segundo a prefeitura informou, poder reabrir as praias foi um dos projetos de reconstrução "mais difíceis, complexos e delicados" realizados na cidade nos últimos anos.

Com a inauguração da temporada de veraneio, os pequenos estabelecimentos que se viram obrigados a fechar por causa do "Sandy" também voltarão a se instalar nos calçadões para receber os mais de 20 milhões de pessoas que são esperados nas praias de Nova York.

Do outro lado do rio Hudson, o governador de Nova Jersey, Chris Christie, também inaugurou hoje oficialmente a temporada de praia em Seaside Heights, onde a tempestade derrubou uma montanha-russa instalada no mar e que se tornou uma das imagens emblemáticas da devastação do "Sandy".

Embora grande parte da região litorânea tenha superado os danos da tempestade, Christie reconheceu que ainda resta muito a fazer para conseguir uma recuperação "completa" de uma das regiões onde se concentra grande parte da atividade econômica do estado.