Mundo

Morre menina de 7 anos que se tornou símbolo da fome no Iêmen

Imagem do jornal The New York Times comoveu o mundo ao "dar um rosto" à crise humanitária que ameaça 1,8 milhão de crianças naquele país

Menina iemenita que foi fotografada pelo The New York Times e que se tornou o rosto da fome provocada pela guerra. (The New York Times/ Twitter/Reprodução)

Menina iemenita que foi fotografada pelo The New York Times e que se tornou o rosto da fome provocada pela guerra. (The New York Times/ Twitter/Reprodução)

Vanessa Barbosa

Vanessa Barbosa

Publicado em 3 de novembro de 2018 às 13h58.

Última atualização em 3 de novembro de 2018 às 13h59.

São Paulo -  A menina iemenita de sete anos de idade, cuja imagem assombrosa de um corpo esquelético castigado  pela desnutrição chocou o mundo e se tornou símbolo da crise humanitária em curso no Iêmen, morreu de acordo com o The New York Times.

No mês passado, o jornal americano publicou uma foto da pequena Amal Hussain acamada em um ambulatório móvel no norte do país, onde estava sendo tratada por desnutrição aguda.

A imagem tornou-se um símbolo da grave crise de fome no Iêmen, que ameaça 1,8 milhão de crianças devido a uma guerra civil que já dura quase quatro anos.

Segundo dados do Unicef, 400 mil crianças com desnutrição grave aguda batalham diariamente para sobreviver naquele país.

Médicos e enfermeiros tentaram salvar Amal, alimentando-a com leite a cada duas horas, mas ela estava vomitando regularmente e sofria de diarréia, relatou o NYT.

Apesar do esforço para salvá-la, Amal morreu na quinta-feira (1).

A reportagem do jornal americano A tragédia da guerra da Arábia Saudita foi escrita por Declan Walsh e as fotografias foram tiradas por Tyler Hicks.

Acompanhe tudo sobre:FomeIêmen

Mais de Mundo

Bandeira invertida coloca Suprema Corte dos EUA em apuros

Primeiro-ministro eslovaco passa por nova cirurgia e segue em estado grave

Vaticano alerta contra episódios imaginários relacionados a milagres e aparições

Governo Biden quer reclassificar maconha como droga de menor risco

Mais na Exame