Manifestante islamita morre no primeiro dia da semana da ira

Um membro da Irmandade Muçulmana morreu nos distúrbios ocorridos no primeiro dia da chamada semana da ira

Cairo - Um membro da Irmandade Muçulmana morreu nos distúrbios ocorridos nesta sexta-feira na cidade egípcia de Menia, no primeiro dia da chamada "semana da ira", informou à Agência Efe o diretor do departamento de emergências do Ministério da Saúde, Khaled al-Khatib.

A Irmandade Muçulmana confirmou a morte de um de seus militantes e informou sobre o falecimento de outro membro do grupo na cidade de Damieta al Gadida, o que ainda não foi confirmado oficialmente.

As manifestações deixaram ainda três feridos na cidade de Al Fayum, ao sul do Cairo, e 147 detidos em todo o país.

Apesar do governo egípcio ter classificado há dois dias a Irmandade Muçulmana como um "grupo terrorista", as manifestações de hoje, que ocorreram nas principais cidades do país, foram grandes e se caracterizaram pela forte repressão policial, segundo o porta-voz do grupo, Mustafa al-Khatib.

Além disso, tiveram como elemento comum cartazes com o símbolo islamita com uma mão e quatro dedos levantados e a frase "terrorismo é o golpe de Estado", em referência à deposição do ex-presidente islamita Mohammed Mursi pelo exército em 3 de julho.

As forças de segurança tentaram impedir que os manifestantes saíssem das mesquitas após a oração muçulmana do meio-dia, sem sucesso na maioria das ocasiões, segundo o porta-voz da Irmandade.

No Cairo, as manifestações mais destacadas ocorreram nos bairros de Maadi, Imbaba e Al Haram, onde a polícia lançou gás lacrimogêneo e disparou balas de chumbo contra os manifestantes, segundo Mustafa al-Khatib.

Nos protestos, principalmente na capital, Alexandria, Suez, Al Fayum, Menia e Demiata, um número indeterminado de pessoas ficaram feridas e várias viaturas da polícias foram queimadas, segundo a agência oficial de notícias "Mena".

A coalizão egípcia para a defesa da legitimidade, que inclui a Irmandade Muçulmana e outros grupos afins, convocou hoje uma semana de protestos, que batizou como "semana da ira", contra o exército e o governo.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.