Mundo

Maduro se reúne com alto comando militar da Venezuela

Acompanhado por autoridades do governo e do Parlamento, o também candidato governista para as eleições de 14 de abriu foi ao Ministério da Defesa

EXAME.com (EXAME.com)

EXAME.com (EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 13 de março de 2013 às 16h02.

Caracas - O presidente encarregado da Venezuela, Nicolás Maduro, reuniu-se nesta quarta-feira com o alto comando das Forças Armadas para reafirmar a unidade cívico-militar, apesar da morte do presidente Hugo Chávez.

Acompanhado por autoridades do governo e do Parlamento, o também candidato governista para as eleições de 14 de abriu foi ao Ministério da Defesa, onde liderou uma cerimônia com os soldados, antes de se reunir com os comandos militares.

"Estas Forças Armadas estão aqui, construídas por nosso pai, guia, mestre, comandante supremo Hugo Chávez, e seguirão aqui, as Forças Armadas Nacionais anti-imperialistas continuarão seu rumo, ninguém ou nada irá detê-las", expressou o presidente interino diante das câmeras de televisão.

Dirigindo-se aos soldados, Maduro, que enfrentará nas eleições o opositor Henrique Capriles, afirmou que as Forças Armadas se fortalecerão "ainda mais, sob as diretrizes que nos foram deixadas pelo Comandante-em-Chefe" em armamento, técnicas, equipamento, condições de trabalho e vida.

"Vamos conquistar umas Forças Armadas nos próximos anos que terão a capacidade tecnológica de produzir tudo o que tem, seus uniformes, suas armas, suas peças de reposição, sua técnica, poderosas Forças Armadas para a paz, para proteger o povo", acrescentou.

Maduro foi à reunião acompanhado de seu vice-presidente, Jorge Arreaza, genro de Chávez, e do presidente da Assembleia Nacional, Diosdado Cabello, assim como de outros funcionários do governo.

Chávez, que será embalsamado, morreu no dia 5 de março e seus restos, na capela ardente há uma semana na Academia Militar de Caracas, serão levados na sexta-feira a um antigo quartel convertido em museu.

Acompanhe tudo sobre:América LatinaEleiçõesNicolás MaduroPolíticosVenezuela

Mais de Mundo

Qual seria o impacto do programa econômico de Donald Trump nos EUA?

Brasil não tem nenhuma cidade no ranking das melhores do mundo; veja lista

Em Pequim, Amorim assina proposta com a China sobre guerra na Ucrânia

Coreia do Sul, China e Japão farão primeiro encontro desde 2019

Mais na Exame