Mundo

John Kerry faz visita surpresa ao Afeganistão

John Kerry viajou para se reunir com o presidente Hamid Karzai num momento em que os dois governos buscam estabilizar país para permitir a saída das tropas estrangeiras

Secretário de Estado norte-americano, John Kerry, fala com a imprensa na aeronave Força Aérea C-17 (Jason Reed)

Secretário de Estado norte-americano, John Kerry, fala com a imprensa na aeronave Força Aérea C-17 (Jason Reed)

DR

Da Redação

Publicado em 25 de março de 2013 às 10h43.

Cabul - O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, fez nesta segunda-feira uma visita não anunciada ao Afeganistão para se reunir com o presidente Hamid Karzai, disse uma fonte oficial norte-americana, num momento em que os dois governos buscam estabilizar o Afeganistão para permitir a saída da maior parte das tropas de combate estrangeiras, até o final de 2014.

Kerry e Karzai vão discutir várias questões, como a reconciliação afegã, a transferência de responsabilidades para as forças afegãs e a realização de eleições no país, segundo o funcionário dos EUA.

O governo de Karzai tenta estabelecer negociações formais de paz com o Taliban, que resiste à superioridade militar das forças da Otan em uma guerra que já dura mais de 11 anos.

Karzai deve viajar nos próximos dias ao Catar a fim de discutir o processo de paz e a abertura de um escritório do Taliban para conduzir as negociações.

Comentando a viagem de Karzai, a fonte dos EUA disse a jornalistas: "Acho um sinal muito positivo. É mais um passo em um caminho contínuo rumo... a algum tipo de processo de reconciliação".

"Ninguém está esperando que ele abra um escritório lá em uma semana. Ninguém espera que ele esteja sentado com o Taliban em uma semana. Esse é um processo longo, e esse é mais um passo pequeno, embora positivo, nesse processo." As tensões entre os EUA e o Afeganistão se aprofundaram nos últimos anos por causa de diversas questões, como as vítimas civis de bombardeios aéreos, as ações militares noturnas e a transferência de prisioneiros.

O funcionário admitiu haver dificuldades na relação entre EUA e Afeganistão, mas disse acreditar que várias delas já foram resolvidas, incluindo um acordo para a retirada das forças norte-americanas de parte da província de Wardak, onde os soldados eram acusados de maltratar moradores locais.

Ele disse também que os EUA consideram que já ficou para trás o recente incidente em que Karzai acusou Washington de negociar secretamente com o Taliban para manter uma presença militar estrangeira no Afeganistão -- situação que marcou negativamente a primeira visita de Chuck Hagel ao Afeganistão depois de assumir o cargo de secretário de Defesa dos EUA.

O funcionário disse que Kerry pretendia também visitar o Paquistão, mas decidiu não fazê-lo para não dar a impressão de estar influenciando a campanha para a eleição paquistanesa de 11 de maio.

Acompanhe tudo sobre:AfeganistãoÁsiaEstados Unidos (EUA)John KerryPaíses ricosPolíticos

Mais de Mundo

Legisladores democratas aumentam pressão para que Biden desista da reeleição

Entenda como seria o processo para substituir Joe Biden como candidato democrata

Chefe de campanha admite que Biden perdeu apoio, mas que continuará na disputa eleitoral

Biden anuncia que retomará seus eventos de campanha na próxima semana

Mais na Exame