Mundo

Ingleses voltam às ruas com reabertura de pubs e lojas

País entrou na segunda fase de flexibilização do confinamento depois de três meses de lockdown

Pubs reabrem com redução das restrições contra a covid-19 em Londres (Hannah Mckay/Reuters)

Pubs reabrem com redução das restrições contra a covid-19 em Londres (Hannah Mckay/Reuters)

FS

Fabiane Stefano

Publicado em 12 de abril de 2021 às 19h26.

Última atualização em 12 de abril de 2021 às 19h27.

Após mais de três meses de lockdown, a Inglaterra teve o primeiro dia de reabertura de serviços não essenciais, como pubs, restaurantes, lojas e salões de beleza nesta segunda-feira, 12.

Mesmo com as temperaturas baixas, atendimento apenas na área externa e um protocolo extenso de regras sanitárias para reduzir o contato e exposição a riscos, ingleses formaram filas em pubs depois da meia-noite, quando os bares passaram a vender bebidas, e de manhã para brindar. Filas se formaram também diante de lojas e salões de cabelereiros.

A reabertura faz parte da segunda fase da flexibilização das medidas para conter o avanço da covid-19, resultado da ampla vacinação em curso no Reino Unido. Ainda está prevista a reabertura de estabelecimentos na Escócia e no País de Gales para o dia 26 de abril.

Segundo o jornal ingês The Guardian, o número de pessoas circulando na tarde de hoje mais que dobrou em comparação à segunda-feira da semana passada.

"É bom estar de volta", disse Matthew McGuinness, um estudante de 21 anos, à Reuters no jardim amplo do pub Wetherspoon's Fox on the Hill, no sul de Londres. "Eu não ia querer estar trabalhando atrás do balcão aqui esta noite. Vai ser absurdo."

Para frequentar bares e restaurantes, clientes precisam informar nome e telefone ou acessar o aplicativo de rastreamento do governo e permanecer de máscara até se sentar. As mesas são restritas a no máximo seis pessoas.

A loja de departamentos John Lewis disse que vidraria e presentes se mostraram os itens mais populares agora que os compradores se preparam para voltar a receber amigos e familiares, e antes da reabertura viu um aumento de mais de 200% na venda de vestidos.

Depois do terceiro lockdown desde o início da pandemia no Reino Unido, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, afirmou que a reabertura é um "grande passo" rumo à liberdade, mas pediu à população que seja responsável, pois o coronavírus ainda representa ameaça.

A primeira etapa da reabertura gradual ocorreu no fim de março, quando passaram a ser permitidas reuniões ao ar livre de até seis pessoas ou duas famílias, respeitando o distanciamento social.

Induzir as pessoas a voltarem a gastar é crucial para a recuperação britânica, já que dados oficiais mostraram que 2020 foi o pior ano para a economia em mais de três séculos com sua queda de 9,8% do Produto Interno Bruto (PIB).

Acompanhe tudo sobre:BaresBoris JohnsonInglaterraLojasReino Unido

Mais de Mundo

Dez prefeitos da oposição na Venezuela são inabilitados por 15 anos após apoio a Edmundo González

Nova York aprova leis para limitar uso de redes sociais por jovens

Como a renda básica a moradores de rua fez essa cidade nos EUA poupar US$ 589 mil

Os EUA vão proibir antivírus Kaspersky no país por 'risco de segurança'; entenda

Mais na Exame