Hispânico é espancado por agressores inspirados em Trump

A polícia de Boston afirmou que os dois irmãos que espancaram um indigente de origem hispânica foram inspirados em parte pelos comentários de Trump

	O bilionário Donald Trump: a vítima, de 58 anos, acordou ao ser urinado por dois irmãos que o golpearam com socos e uma barra de metal
 (Andrew Harrer/Bloomberg)
O bilionário Donald Trump: a vítima, de 58 anos, acordou ao ser urinado por dois irmãos que o golpearam com socos e uma barra de metal (Andrew Harrer/Bloomberg)
Por Da RedaçãoPublicado em 20/08/2015 21:25 | Última atualização em 20/08/2015 21:25Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Washington - A polícia de Boston afirmou nesta quinta-feira que os dois irmãos que espancaram um indigente de origem hispânica foram inspirados em parte pelos comentários contra imigrantes feitos pelo pré-candidato presidencial republicano Donald Trump, segundo o jornal "The Boston Globe".

Os incidentes ocorreram na madrugada desta quinta-feira, perto de uma estação de metrô ao sul de Boston, quando a vítima, de 58 anos e que dormia na rua, acordou ao ser urinado por dois irmãos que o golpearam com socos e uma barra de metal.

De acordo a publicação, os irmãos Scott e Steve Leader encontraram a vítima quando voltavam para casa após assistir uma partida de beisebol do Boston Red Sox.

O indigente, que não foi identificado, lesionou costelas e o nariz rotas pelos golpes, e foi tratado no hospital Boston Medical Center.

O jornal informa que o relatório policial preliminar revelou que um dos irmãos afirmou após a surra que "Donald Trump tem razão e todos esses imigrantes ilegais deveriam ser deportados". De acordo com a polícia, ambos continuaram a insultar os imigrantes quando foram detidos.

O prefeito de Boston, Martin J. Walsh, afirmou que os irmãos Leader "deveriam ficar envergonhados de si mesmos", enquanto o procurador-geral da cidade, Daniel F. Conley, classificou o caso como "doentio".

Ambos os acusados, que contam com um grande histórico de antecedentes criminais, se declararam inocentes perante o tribunal do distrito de Dorchester.

A juíza Lisa Grant ordenou que os dois permaneçam presos sem fiança até que sejam julgados.

O multimilionário e polêmico pré-candidato, que lidera as pesquisas de intenção de voto entre os republicanos, afirmou pouco após se candidatar que um de seus objetivos é construir um muro entre México e EUA, e acusou os imigrantes mexicanos de serem "traficantes de droga e estupradores".