Acompanhe:

Filantropia chegou a US$ 303 bilhões nos EUA em 2009

A recessão americana provocou uma queda no total de doações de 3,6% em relação a 2008, segundo uma fundação norte-americana

Modo escuro

Continua após a publicidade
Warren Buffet concordou em doar 85% da sua fortuna para Fundação Bill & Melinda Gates depois de sua morte (.)

Warren Buffet concordou em doar 85% da sua fortuna para Fundação Bill & Melinda Gates depois de sua morte (.)

D
Da Redação

Publicado em 10 de outubro de 2010 às, 03h47.

Washington - O desafio bem-sucedido dos bilionários Bill Gates e Warren Buffet de convencer seus pares a doar metade de suas fortunas para a benemerência em uma época de vacas magras provocou surpresa até mesmo em uma sociedade na qual a filantropia é um consagrado business.

As doações nos Estados Unidos atingiram US$ 303,8 bilhões no ano passado, quando a recessão americana provocou uma queda no total de doações de 3,6% em relação a 2008 segundo a Given USA Foundation. O valor foi equivalente ao Produto Interno Bruto (PIB) da Áustria, da Grécia ou das Filipinas.

Nos primeiros apelos da dupla biliardária, durante jantares organizados desde 2009, pelo menos 40 afortunados aderiram à causa do Compromisso de Dar, como foi batizada a iniciativa. As adoções por cinco deles corresponderam a US$ 2,4 bilhões.

A proposta de instigar a doação de metade do patrimônio, em vida ou depois da morte, entre os americanos mais ricos, surpreendeu por ter sido lançada em um momento em que a atividade econômica apontava recuperação muito modesta.

Segundo Paul Brest, presidente da Fundação William e Flora Hewlett e autor do livro "Money Well Spent" (Dinheiro Bem Gasto) o movimento liderado pelo dono da Microsoft e pelo consagrado megainvestidor foi motivado por suas convicções pessoais. Mas, para Brest, terá feito um bem danado a seus negócios.

"Doar é um grande negócio. Melhora a imagem de empresários diante dos funcionários e da sociedade, traz o reconhecimento da comunidade aos doadores individuais e ainda garante dedução de imposto", afirmou.

Gates é o segundo homem mais rico do mundo, com um patrimônio de US$ 53 bilhões, segundo ranking da revista Forbes. Presidente do conglomerado americano Berkshire Hathaway, Buffett possui uma fortuna um pouco menor, de US$ 47 bilhões, da qual uma fatia de 85% será destinada à Fundação Bill & Melinda Gates depois de sua morte. Ambos já eram conhecidos como filantropos nos EUA. Agora, essa imagem está consolidada mundo afora. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia outras notícias sobre os Estados Unidos

Siga as notícias do site EXAME sobre Mundo no Twitter

Últimas Notícias

Ver mais
Guerra Fria da IA tem novo capítulo: um investimento bilionário da Microsoft no Golfo
Inteligência Artificial

Guerra Fria da IA tem novo capítulo: um investimento bilionário da Microsoft no Golfo

Há 8 horas

Dirigente do Fed reforça que não há pressa para reduzir juros nos EUA
Economia

Dirigente do Fed reforça que não há pressa para reduzir juros nos EUA

Há 10 horas

Câmara dos Representantes vai votar separadamente ajuda a Ucrânia e Israel
Mundo

Câmara dos Representantes vai votar separadamente ajuda a Ucrânia e Israel

Há 10 horas

Casal Biden publica declaração de renda, com receitas de R$ 3,2 milhões
Mundo

Casal Biden publica declaração de renda, com receitas de R$ 3,2 milhões

Há 10 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais