Mundo

EUA deixará de exigir vacina contra a covid para viajantes em 11 de maio

"Hoje anunciamos que o governo acabará com a exigência de vacina contra a covid-19 para funcionários federais, contratados e viajantes aéreos até o final de 11 de maio", informou o governo norte-americano em comunicado

Vacinação contra a covid-19: Governo norte-americano suspende a obrigatoriedade de vacinação para viajantes (AFP/Reprodução)

Vacinação contra a covid-19: Governo norte-americano suspende a obrigatoriedade de vacinação para viajantes (AFP/Reprodução)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 1 de maio de 2023 às 20h16.

Os viajantes internacionais não estarão mais sujeitos aos requisitos de vacinação contra a Covid-19 assim que a emergência de saúde pública dos EUA terminar, em 11 de maio de 2023

A Casa Branca anunciou nesta segunda-feira (1º) que em 11 de maio encerrará a obrigatoriedade de apresentação de comprovante de vacina contra a covid-19 para viajantes e funcionários do governo dos Estados Unidos.

"Hoje anunciamos que o governo acabará com a exigência de vacina contra a covid-19 para funcionários federais, contratados e viajantes aéreos até o final de 11 de maio, mesmo dia em que termina a emergência de saúde pública da covid-19", informou o governo em comunicado.

Suspensão das restrições

Mais de um milhão de pessoas morreram de covid-19 nos Estados Unidos. No entanto, a Casa Branca disse que a pandemia praticamente foi contida, levando o governo a suspender as restrições que estavam em vigor enquanto a doença se espalhava por comunidades inteiras e forçava a paralisia econômica.

"Desde janeiro de 2021, as mortes por covid-19 caíram 95% e as hospitalizações caíram perto de 91%. Globalmente, as mortes relacionadas à covid estão em seus níveis mais baixos desde o início da pandemia", acrescentou o comunicado.

De acordo com a Casa Branca, "os requisitos da vacina reforçaram a vacinação em todo o país e nossa extensa campanha de vacinação salvou milhões de vidas".

Embora a exigência de vacinação para estrangeiros a bordo de voos com destino aos Estados Unidos fosse uma prática comum em muitos países, a vacinação obrigatória para funcionários do governo às vezes provocava forte reação política em casa.

Além de acabar com as regras de vacinação, o presidente Joe Biden anunciou em abril que estava declarando oficialmente o fim da emergência nacional de saúde que por mais de três anos sustentou uma série de ações extraordinárias do governo.

Acompanhe tudo sobre:CoronavírusEstados Unidos (EUA)

Mais de Mundo

Governo colombiano inicia diálogo com dissidência das Farc

Ministro alemão diz que tarifas da UE a carros elétricos chineses não são punitivas

Dez freiras espanholas foram excomungadas pelo Vaticano; entenda

Mulheres israelenses correm para comprar armas depois de 7 de outubro

Mais na Exame