Mundo

EUA anuncia nova ajuda militar para a Ucrânia por US$ 1,2 bi

O anúncio destaca o compromisso que os Estados Unidos assumiu com a Ucrânia "abrangendo capacidades críticas a curto prazo, como sistemas de defesa aérea e munições

O pacote inclui sistemas e munições de defesa aérea não especificados, assim como equipamentos para integrar os sistemas ocidentais com os existentes na Ucrânia, muitos da época soviétic (AFP/AFP Photo)

O pacote inclui sistemas e munições de defesa aérea não especificados, assim como equipamentos para integrar os sistemas ocidentais com os existentes na Ucrânia, muitos da época soviétic (AFP/AFP Photo)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 9 de maio de 2023 às 14h19.

Os Estados Unidos anunciaram nesta terça-feira, 9, um novo pacote de apoio militar à Ucrânia, no valor de 1,2 bilhão de dólares (5,96 bilhões de reais na cotação atual), para melhorar suas defesas aéreas e fornecer munição adicional para sua artilharia.

O anúncio destaca o compromisso que os Estados Unidos assumiu com a Ucrânia "abrangendo capacidades críticas a curto prazo, como sistemas de defesa aérea e munições, ao mesmo tempo que desenvolve a capacidade das Forças Armadas da Ucrânia para defender seu território e dissuadir a agressão russa a longo prazo", disse o Pentágono em nota.

O auxílio vem na forma de fundos da Inciativa de Assistência e Segurança para a Ucrânia, destinados à aquisição de equipamentos da indústria de defesa ou de aliados em vez de fornecer equipamentos dos estoques americanos.

Isto evita esgotar as reservas americanas, mas significa que o auxílio levará mais tempo para chegar ao campo de batalha.

O pacote inclui sistemas e munições de defesa aérea não especificados, assim como equipamentos para integrar os sistemas ocidentais com os existentes na Ucrânia, muitos da época soviética.

Também inclui munições para sistemas antidrones, projéteis de artilharia de 155 mm e serviços comerciais de imagens de satélites.

O presidente ucraniano, Volodomir Zelensky, elogiou o novo pacote americano.

"Apreciamos este gesto de solidariedade com a Ucrânia, divulgado em um dia simbólico para nós: o Dia da Europa e o Dia da Vitória sobre o nazismo na Segunda Guerra Mundial", disse Zelensky no Twitter.

"Juntos vamos para uma nova vitória!", acrescentou.

Antidrones e munição pesada

Os Estados Unidos lideram uma cruzada de apoio à Ucrânia, unindo rapidamente uma coalizão internacional para apoiar Kiev depois que a Rússia invadiu o país em 24 de fevereiro de 2022.

As defesas aéreas da Ucrânia têm desempenhado um papel fundamental para responder aos ataque da Rússia, evitando que as forças de Moscou obtenham o controle aéreo e ajudando a proteger o país contra mísseis e aviões não tripulados.

Documentos secretos americanos, do final de fevereiro, que supostamente foram vazados por um funcionário da Guarda Nacional Aérea detalhavam a iminente escassez de munições para os sistemas soviéticos da Ucrânia, que constituem uma parte importante da proteção de alcance médio e alto.

Os aliados internacionais de Kiev têm trabalhado para reforçar as defesas ucranianas com uma combinação de sistemas de vanguarda como os antimísseis Patriot e NASAMS, assim como com equipamentos mais antigos de seus arsenais.

O novo pacote americano também inclui munições para sistemas contra drones, com o objetivo de frustrar a ameaça de aviões não tripulados de fabricação iraniana que a Rússia tem utilizado em seus ataques na Ucrânia, assim como munições de 155 mm, fundamentais para a artilharia das forças ucranianas.

Também proporcionará serviços comerciais de imagens de satélites e apoio à capacitação e manutenção de equipamentos.

Com estes novos fundos o pacote de ajuda militar dos Estados Unidos Ucrânia totaliza mais de 36 bilhões de dólares(o equivalente a cerca de 180 bilhões de reais na cotação atual) desde que a Rússia começou sua invasão.

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)UcrâniaArmasGuerrasMilitares

Mais de Mundo

"Portugal deve pagar pela escravidão", diz presidente do país

Senado dos EUA aprova pacote de ajuda de US$ 95 bi para Ucrânia, Israel e Taiwan

Maduro anuncia reabertura de escritório de Direitos Humanos da ONU na Venezuela

Suprema Corte dos EUA analisa se Trump dispõe de imunidade presidencial

Mais na Exame