Erdogan cita irregularidades e defende recontagem de votos em Istambul

Partido do presidente turco tenta reverter a derrota com a medida, mas oposição pede que o líder reconheça o revés eleitoral

Ancara — O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, defendeu a decisão de seu partido de exigir uma recontagem completa dos votos nas eleições para a prefeitura de Istambul, ao alegar que "quase toda a votação" foi marcada por irregularidades. Erdogan sofreu um grande revés nas eleições locais da semana passada depois que a oposição assumiu o controle da capital, Ancara, e venceu uma disputa acirrada por Istambul.

Uma recontagem de votos que anteriormente eram considerados inválidos, exigida pelo partido de Erdogan, está ocorrendo em vários distritos, mas o partido governista deseja, agora, que todos os votos sejam recontados. "Nós acreditamos que certos atos (irregulares) foram realizados", disse o presidente turco.

A oposição, que agora tem vantagem de 14 mil votos, exige que o partido de Erdogan reconheça a derrota em Istambul. Para Erdogan, a diferença de votos entre os dois principais candidatos à Prefeitura de Istambul foi pequena demais para a oposição declarar vitória.

Os resultados iniciais da eleição da semana passada mostraram uma vitória apertado de Ekrem Imamoglu, candidato da principal sigla opositora turca, o Partido Republicano do Povo (CHP), nas eleições municipais de 31 de março.

O partido AKP, de Erdogan, recorreu dos números iniciais em todos os 39 distritos de Istambul, provocando recontagens parciais ou totais na maior cidade do país, que tem cerca de 10 milhões de eleitores. No domingo, o AKP disse ter solicitado uma recontagem total.

"Os cidadãos estão nos pedindo para proteger seus direitos, estão se queixando de crimes organizados. E nós, como partidos políticos, determinamos tais crimes organizados", disse Erdogan em uma coletiva de imprensa em Istambul.

O AKP está abalado com sua derrota aparente de Istambul e da capital Ancara, ambas cidades que o partido e seus antecessores islâmicos dominaram durante um quarto de século. O próprio Erdogan se destacou como prefeito de Istambul nos anos 1990 antes de emergir como um líder nacional.

Ele disse que só aceitará o desfecho depois que a Alta Comissão Eleitoral (YSK) tiver processado todas as apelações.

"Ninguém tem direito de entrar em clima de vitória eleitoral em uma cidade de 10 milhões de eleitores com uma diferença de 13 mil-14 mil", disse. "Quando as apelações tiverem sido finalizadas, aceitaremos o resultado".

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também