Acompanhe:

Os Estados Unidos elegem um novo presidente em 5 de novembro de 2024. Falta mais de um ano para a data, mas 17 nomes já anunciaram a entrada na disputa.

Do lado democrata, o presidente Joe Biden tentará a reeleição, e é o favorito para obter a nomeação do partido. Ao menos desde os anos 1950, todos os presidentes que estavam no cargo e podiam disputar a reeleição conseguiram a nomeação do partido para concorrer. Além dele, apenas outros dois nomes confirmaram que vão tentar: o advogado Robert F. Kennedy Jr. e a escritora Marianne Williamson.

Na oposição, 13 nomes tentam disputar a indicação com o ex-presidente Donald Trump, que lidera a preferência no Partido Republicano, segundo as pesquisas mais recentes, apesar de enfrentar processos na Justiça. Trump perdeu a reeleição em 2020, mas se recusou a reconhecer a derrota. Ele é julgado por suas tentativas de reverter o resultado à força, com ações como pressionar funcionários a mudar contagem de votos e incitar apoiadores a invadir o Congresso dos EUA. Ele pode concorrer mesmo que seja condenado e preso, pois a lei americana não prevê barreiras para que condenados pela Justiça possam disputar eleições.

A eleição nos EUA adota o modelo de primárias, que começam em 15 de janeiro de 2024. Nesta etapa, eleitores de cada partido votam em seu candidato preferido em cada estado. Conforme as primárias avançam, é comum que os nomes menos competitivos acabem desistindo e indicando apoio a outro nome da mesma legenda. As indicações dos partidos são sacramentadas em convenções nacionais dos partidos, marcadas para julho e agosto de 2024. Depois delas, começa o embate direto entre os candidatos escolhidos pelos dois partidos, até a votação em 5 de novembro. O eleito tomará posse em 20 de janeiro de 2025, para um mandato de quatro anos.

Candidatos democratas

Joe Biden

O atual presidente dos EUA assumiu o cargo em 2021, após uma carreira política de mais de quatro décadas. Ele foi eleito senador em 1973 e ficou no cargo até 2009. Em 2008, ele foi eleito vice-presidente, na chapa de Barack Obama, e ocupou o cargo por dois mandatos. Nas eleições de 2020, derrotou Donald Trump e se tornou o presidente mais velho a assumir o cargo, com 78 anos. Se vencer a reeleição, terá 82 na data da nova posse. O governo Biden é mal avaliado por 54,1% dos americanos e aprovado por 40,8% deles, segundo o site FiveThirtyEight, que agrega dados de várias pesquisas.

Marianne Williamson

Conhecida por seu trabalho como escritora publicou 13 livros, sobre temas como auto-ajuda e espiritualidade. Era convidada frequente do programa de Oprah Winfrey, e chegou a ser conhecida como sua conselheira espiritual. Disputou as primárias presidenciais em 2020, mas desistiu no começo da corrida e endossou a candidatura de Bernie Sanders.

Robert F. Kennedy Jr.

O democrata é filho de Robert Kennedy, que foi procurador-geral dos EUA e morreu assassinado durante a campanha presidencial de 1968, e sobrinho do ex-presidente John Kennedy (1961-63), também morto a tiros, durante uma viagem a Dallas. O candidato fez carreira como advogado e trabalhou em ações de preservação ambiental e de combate à epidemias.

Joe Biden: presidente dos EUA buscará reeleição e poderá enfrentar Trump novamente

Candidatos republicanos

Donald Trump

O ex-presidente é atualmente o favorito para obter a nomeação republicana, apesar de ser réu em vários processos, que estão sendo analisados durante a campanha. Trump perdeu a reeleição em 2020, mas se recusou a reconhecer a derrota. Ele é julgado por suas tentativas de reverter o resultado à força, com ações como pressionar funcionários a mudar contagem de votos e incitar apoiadores a invadir o Congresso dos EUA. Ele pode concorrer mesmo que seja condenado e preso, pois a lei americana não prevê barreiras para que condenados pela Justiça possam disputar eleições.

Ron DeSantis

Governador da Flórida, é um dos principais nomes na disputa. Nos últimos anos, atraiu atenção ao defender medidas conservadoras e polêmicas, como restringir o acesso a livros com temáticas LGBT em escolas. Durante a pandemia, manteve a Florida sem restrições de circulação e, com uma política de impostos mais baixos, atraiu mais empresas e moradores para o estado.

Mike Pence

Ex-vice-presidente de Trump, rompeu com o ex-presidente e certificou a vitória de Joe Biden em 2020, horas depois de o Congresso ser invadido por apoiadores do ex-presidente. Antes, foi deputado por 12 anos e governador de Indiana. Defende bandeiras conservadoras, como o veto ao aborto.

Asa Hutchinson

Governou o Arkansas de 2015 a 2023 e teve cargos no governo de George W. Bush, como o de diretor do DEA, departamento de combate às drogas.

Chris Christie

Governou Nova Jersey de 2010 a 2018 e disputou as primárias presidenciais em 2016. Foi apoiador de Trump, mas rompeu com o ex-presidente e hoje centra sua campanha em críticas a ele.

Corey Stapleton

Fez carreira política em Montana, primeiro como senador estadual (2001-2007) e depois como Secretário de Estado (2017-2021). Também lançou dois álbuns de música country, como cantor.

Doug Burgum

Governador de Dakota do Norte desde 2016. Nos anos 1980, criou uma empresa de software depois comprada pela Microsoft, onde foi vice-presidente de 2001 a 2007.

Larry Elder

Apresentador de rádio e TV desde os anos 1980, disputou uma eleição fora de época para governador da Califórnia, em 2021, e ficou em segundo lugar.

Nikky Haley

Foi embaixadora dos EUA na ONU no governo Trump e governadora da Carolina do Sul de 2011 a 2017. Defende a renovação na política e aumentar a proteção das fronteiras.

Perry Johnson

Criou uma empresa com seu nome, que ajuda companhias a obterem certificações ISO. Tentou disputar a eleição para governador de Michigan em 2022, mas foi inabiltado por apresentar assinaturas fraudadas no processo de inscrição para as primárias.

Ryan Binkley

Criou duas instituições: a Generational Group, uma consultoria especializada em fusões e aquisições aberta em 2005 e que ele ainda preside, e a igreja Create, de 2014, da qual é pastor e líder.

Tim Scott

Senador pela Carolina do Sul, quer se tornar o segundo presidente negro dos EUA. Atua na política desde 1995, quando foi eleito conselheiro municipal em Charleston, cargo que ficou por 13 anos. Antes do Senado, foi também deputado.

Vivek Ramaswamy

Filho de indianos e bilionário, fez fortuna com uma empresa de biotecnologia e outros negócios. Nos últimos anos, ficou conhecido ao criticar ações sociais e de inclusão das empresas.

Will Hurd

Foi deputado pelo Texas de 2015 a 2021. Antes, trabalhou por oito anos na CIA, como agente em países do Oriente Médio e Sudeste Asiático.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Zelenski diz que 31 mil soldados ucranianos morreram na guerra com a Rússia
Mundo

Zelenski diz que 31 mil soldados ucranianos morreram na guerra com a Rússia

Há 6 horas

Na Argentina, Milei ataca governadores, após ameaça de corte no fornecimento de petróleo e gás
Mundo

Na Argentina, Milei ataca governadores, após ameaça de corte no fornecimento de petróleo e gás

Há 7 horas

Centenas de pessoas fogem da fome no norte de Gaza: 'Nossa única esperança é a ajuda de Deus'
Mundo

Centenas de pessoas fogem da fome no norte de Gaza: 'Nossa única esperança é a ajuda de Deus'

Há 13 horas

Lula se volta à América Latina e terá encontro com Maduro
Mundo

Lula se volta à América Latina e terá encontro com Maduro

Há 13 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais