Acompanhe:

Dirigente da UE adverte sobre impacto da crise agrícola em acordo com Mercosul

Os avanços nas conversas entre negociadores do Mercosul e da UE coincidiram com um agravamento notável da crise e a mobilização do setor agrícola na Europa

Modo escuro

Continua após a publicidade
De acordo com Borrell, do lado dos países latino-americanos, a "disposição para firmar o acordo é maior do que nunca" (AFP/AFP)

De acordo com Borrell, do lado dos países latino-americanos, a "disposição para firmar o acordo é maior do que nunca" (AFP/AFP)

A crise que abala o setor agrícola em muitos países da União Europeia poderia ser um "obstáculo" para a aprovação do acordo de livre-comércio com o Mercosul, sugeriu nesta quinta-feira (25) o alto representante de política externa do bloco europeu, Josep Borrell.

"Temos que ver se a atual crise da agricultura europeia não representa mais um obstáculo neste caminho", disse Borrell durante um seminário com legisladores europeus e latino-americanos no Parlamento Europeu.

Depois de duas décadas de negociações sobre esse acordo, "agora a bola está do lado da Europa. Somos nós que temos que dizer se queremos ou não", afirmou o diplomata espanhol.

De acordo com Borrell, do lado dos países latino-americanos, a "disposição para firmar o acordo é maior do que nunca".

Freios nas negociações

Contudo, os avanços nas conversas entre negociadores do Mercosul e da UE coincidiram com um agravamento notável da crise e a mobilização do setor agrícola na Europa.

Nesta quinta-feira, a França voltou a registrar manifestações e protestos de agricultores para denunciar sua situação econômica. O influente setor agrícola francês é um dos mais ferrenhos opositores ao acordo UE-Mercosul.

A oposição de esquerda pediu nesta quinta-feira ao presidente francês, Emmanuel Macron, que "diga claramente 'stop' [pare] ao acordo" negociado com o Mercosul, como uma das respostas para a indignação dos agricultores.

Para Borrell, "não há vazios na geopolítica, e se nossos Estados e nossas empresas e instituições financeiras deixam um espaço, outros vão aproveitar".

Reunidos nesta quarta-feira no Paraguai, os ministros das Relações Exteriores dos países do Mercosul (Argentina, Brasil, Uruguai, Paraguai e Bolívia) afirmaram, em uma declaração conjunta, que o bloco do Cone Sul deseja concluir o acordo com a UE o mais cedo possível.

"Será prioridade concluir os aspectos pendentes das negociações com a União Europeia e conseguir a assinatura de um acordo equilibrado para ambas as partes o mais rápido possível", indicaram os ministros.

Em 2019, após duas décadas de negociações complexas, os dois blocos anunciaram que tinham chegado a um acordo de livre-comércio.

Contudo, a UE exigiu o acréscimo de um capítulo adicional com exigências ambientais que levou a um novo atraso nas negociações.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
UE amplia sanções contra Hamas por violações cometidas em ataque terrorista de 7 de outubro
Mundo

UE amplia sanções contra Hamas por violações cometidas em ataque terrorista de 7 de outubro

Há 9 horas

Mars quer garantir o chocolate de quem nasceu em 2020 — e a ração dos pets
ESG

Mars quer garantir o chocolate de quem nasceu em 2020 — e a ração dos pets

Há 11 horas

Bélgica abre investigação sobre suposta 'interferência' russa no Parlamento Europeu
Mundo

Bélgica abre investigação sobre suposta 'interferência' russa no Parlamento Europeu

Há 13 horas

Exportações do agronegócio alcançam recorde de US$ 37,44 bilhões no 1º trimestre
EXAME Agro

Exportações do agronegócio alcançam recorde de US$ 37,44 bilhões no 1º trimestre

Há 14 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais