Mundo

Depois de Nova York, Blommberg quer ser prefeito de Londres

Empresário de 73 anos está considerando concorrer ao cargo de prefeito de Londres


	Michael Bloomberg: prefeitura de Londres nos planos
 (Andrew Burton/Getty Images)

Michael Bloomberg: prefeitura de Londres nos planos (Andrew Burton/Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 5 de abril de 2015 às 11h01.

Londres - O ex-prefeito de Nova York Michael Bloomberg está considerando concorrer, pelos conservadores britânicos, ao cargo de prefeito de Londres de 2016, substituindo Boris Johnson, informa neste domingo o jornal 'The Sunday Times'.

Amigos do político e empresário de 73 anos declararam ao periódico que 'ele está considerando' concorrer nessas eleições, uma possibilidade que já ventilaram os 'tories' antes de Johnson se escolhido para concorrer em 2012.

Segundo o jornal, o multimilionário e filantropo, cuja primeira mulher era inglesa e suas duas filhas têm nacionalidade britânica, tratou sobre o assunto com os estrategistas do Partido Conservador, que buscam com afinco um substituto de peso para Johnson e aspiram a atrair o americano.

Steve Hilton, assessor do primeiro-ministro David Cameron, deu na semana passada seu sinal verde à ideia e, em declarações ao 'The Sunday Times', opinou que 'sua liderança pragmática e focalizada na resolução de problemas é justo o que Londres necessita'.

O 'tory' Boris Johnson, conhecido por suas brincadeiras, quer conseguir uma cadeira na câmara dos Comuns nas eleições gerais britânicas de 7 de maio, e se conseguir, planeja combinar seu trabalho com a Prefeitura até 2016.

Para sucedê-lo, Bloomberg, que foi prefeito de Nova York três vezes entre 2002 e 2013, deveria obter a nacionalidade britânica, algo que, segundo o jornal, não seria problema, pois o Ministério do Interior poderia acelerar o trâmite pelo fato de que ele contribuiu pelo menos com 500 milhões de libras para economia britânica.

O Reino Unido concede nacionalidade britânica pela via rápida, com algumas condições, aos milionários que invistam pelo menos 2 milhões de libras (cerca de 2,75 milhões de euro) no país.

Segundo o jornal 'The Sunday Times', Bloomberg, que em 2014 foi recebeu o título de cavalheiro honorário pela rainha Elizabeth II 'por seus prodigiosas trabalhos empresariais e filantrópicos', conta com o apoio do próprio Boris Johnson, que confessa ser seu admirador.

Anglófilo confesso, Bloomberg tem uma casa de 20 milhões de libras em Knightsbridge -um dos bairros mais luxuosos de Londres- e está nos conselhos da galeria de arte Serpentine e no teatro Old Vic.

Suas filhas Emma, filantropa de 36 anos, e Georgina, amazona profissional de 32, são cidadãs britânicas, assim que sua primeira esposa, Susan Brown, nascida em Yorkshire, no norte da Inglaterra.

O multimilionário tem, além disso, vários investimentos imobiliários e planeja abrir a sede europeia de sua agência de notícias financeiras 'Bloomberg LP' na cidade londrina, onde já tem uma importante delegação. EFE

Acompanhe tudo sobre:EuropaLondresMetrópoles globaisNova YorkReino Unido

Mais de Mundo

Putin diz que Coreia do Norte 'apoia firmemente' sua operação na Ucrânia

Joe Biden simplifica regularização de ao menos 500 mil migrantes

Quem é Jordan Bardella, o líder da extrema-direita que desafia Macron?

Corrida nuclear: EUA concentram 80% dos gastos, e China tem arsenal 'pronto para uso' pela 1ª vez

Mais na Exame