Mundo

Chanceler francês saúda discurso "corajoso" de Kerry

"Saúdo o discurso claro, corajoso e engajado de John Kerry a favor da paz no Oriente Médio", declarou o ministro francês das Relações Exteriores

Kerry: o secretário de estado americano declarou nesta quarta-feira que o único caminho para garantir a paz entre Israel e Palestina é a negociação de uma solução de dois Estados (Reuters)

Kerry: o secretário de estado americano declarou nesta quarta-feira que o único caminho para garantir a paz entre Israel e Palestina é a negociação de uma solução de dois Estados (Reuters)

A

AFP

Publicado em 28 de dezembro de 2016 às 19h34.

O ministro francês das Relações Exteriores, Jean-Marc Ayrault, saudou nesta quarta-feira o discurso "corajoso" do secretário americano de Estado, John Kerry, que defendeu "a solução de dois Estados, Israel e Palestina".

"Saúdo o discurso claro, corajoso e engajado de John Kerry a favor da paz no Oriente Médio e de uma solução de dois Estados - Israel e Palestina - vivendo lado a lado em paz e segurança", declarou o chefe da diplomacia francesa em um comunicado.

"A França compartilha a convicção do secretário de Estado americano sobre a necessidade e a urgência da aplicação de uma solução de dois Estados".

Kerry declarou nesta quarta-feira que o único caminho para garantir a paz entre Israel e Palestina é a negociação de uma solução de dois Estados, ao advertir que esta saída corre grave perigo com as colonizações israelenses.

Segundo Kerry, Israel caminha para uma "ocupação perpétua" da terra palestina.

Ao explicar a decisão dos Estados Unidos de não vetar a resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas que condenou os assentamentos israelenses, Kerry disse que "o voto na ONU era para preservar a solução de dois Estados", e que os assentamentos impedem qualquer processo de paz com os palestinos.

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)FrançaJohn Kerry

Mais de Mundo

Trump pede apoio de evangélicos nas eleições de novembro

Bombardeio aéreo russo atinge prédio residencial e deixa três mortos e 37 feridos, afirma Ucrânia

Egito quer penalizar empresas turísticas pelas mortes de peregrinos em Meca

Governo colombiano inicia diálogo com dissidência das Farc

Mais na Exame