Mundo

Califórnia se prepara para novas tormentas após tempestade e inundações

Mais da metade dos 58 condados da Califórnia foi declarada área de desastre, de acordo com o governador Gavin Newsom

Califórnia: mais de 10 mil pessoas receberam ordens para deixar cidades litorâneas nos últimos dias (AFP/AFP)

Califórnia: mais de 10 mil pessoas receberam ordens para deixar cidades litorâneas nos últimos dias (AFP/AFP)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 11 de janeiro de 2023 às 14h33.

Última atualização em 11 de janeiro de 2023 às 14h43.

A Califórnia se prepara para mais um dia de tempestade nesta quarta-feira, 11, após dias de tormenta que provocaram a morte de pelo menos 17 pessoas e danos materiais estimados em mais de US$ 1 bilhão (cerca de R$ 5,2 bilhões).

Enquanto a chuva diminui de intensidade em muitas áreas, principalmente no sul do Estado, permitindo equipes de emergência trabalharem na retirada e na busca de pessoas, o norte do Estado espera a chegada do evento climático extremo.

O Serviço Meteorológico Nacional dos Estados Unidos (NWS) previu a chegada de um ciclone no norte californiano, com estimativa de 180 milímetros de chuva, além de neve abundante na Serra Nevada. “Um enorme ciclone rotativo na Costa Oeste trará [quarta-feira] a próxima rodada de fortes precipitações e rajadas de vento, desta vez visando o norte da Califórnia”, disse o NWS, em registro da France-Presse.

Mais da metade dos 58 condados da Califórnia foi declarada área de desastre, de acordo com o governador Gavin Newsom, apontando que o número de mortos deve aumentar.

Nesta quarta, equipes trabalharam para reabrir as principais rodovias que foram fechadas por deslizamentos de rochas, inundadas ou soterradas pela lama, enquanto mais de 10 mil pessoas que receberam ordens para deixar cidades litorâneas nos últimos dias foram autorizadas a voltar para casa, incluindo Montecito, uma rica comunidade do condado de Santa Bárbara que abriga famosos como o príncipe Harry e Meghan Markle.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

No entanto, milhares de pessoas que vivem perto de riachos e rios cheios com a chuva permanecem sob ordens de retirada. No vale de San Joaquin, as águas furiosas de Bear Creek inundaram partes da cidade de Merced e da vizinha Planada, uma pequena comunidade agrícola ao longo de uma rodovia que leva ao Parque Nacional de Yosemite.

Todos os 4 mil moradores de Planada receberam ordem de deixar o local na manhã da terça-feira. Bairros estavam debaixo d’água com carros submersos até os telhados.

O rio atmosférico mais recente — uma longa coluna de umidade que se estende até o Pacífico e pode causar quantidades impressionantes de chuva e neve — diminuiu em algumas áreas. A previsão é de chuva fraca a moderada com algumas trovoadas na quarta-feira no norte da Califórnia. Prevê-se que um sistema de tempestades mais longo dure de sexta-feira até 17 de janeiro.

Apesar da chuva, a maior parte do Estado permaneceu em seca extrema ou severa, de acordo com o monitor de secas do governo americano.

Muitas áreas viram quantidades sem precedentes de chuva, juntamente com ventos furiosos e até mesmo granizo e raios que derrubaram árvores e danificaram linhas elétricas.

Mais de 75 mil residências e empresas em todo o estado estavam sem energia na noite de terça-feira, de acordo com o site Poweroutage.

(Com agências internacionais)

LEIA TAMBÉM:

Nos EUA, Califórnia decreta alertas e retiradas de moradores após ciclone bomba

Ciclone-bomba atinge a Califórnia

Acompanhe tudo sobre:CalifórniaChuvasEstados Unidos (EUA)FuracõesTornados

Mais de Mundo

Bandeira invertida coloca Suprema Corte dos EUA em apuros

Primeiro-ministro eslovaco passa por nova cirurgia e segue em estado grave

Vaticano alerta contra episódios imaginários relacionados a milagres e aparições

Governo Biden quer reclassificar maconha como droga de menor risco

Mais na Exame