Acompanhe:

Brics anuncia a entrada de seis novos países; veja os novos membros do bloco

A adesão foi oficializada na Declaração de Joanesburgo, documento acordado entre todos os atuais integrantes dos BRICS

Modo escuro

Continua após a publicidade
BRICS: Bloco econômico é formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul ganhará novos membros (Gianluigi Guercia/Getty Images)

BRICS: Bloco econômico é formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul ganhará novos membros (Gianluigi Guercia/Getty Images)

Os líderes do BRICS – o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, o presidente da China, Xi Jinping, o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi e o presidente da Rússia, Vladimir Putin (de forma virtual) – anunciaram nesta quinta-feira, 24, a entrada de seis novos países no grupo.

A partir de janeiro de 2024,Arábia Saudita, Argentina, Egito, Etiópia, Irã e Emirados Árabes Unidos passarão a fazer parte do bloco de nações emergentes. É a primeira expansão desde 2011, quando ocorreu a entrada da África do Sul. A Indonésia, que também era cotada para entrar no bloco, ficou de fora. Quase 40 países solicitaram a adesão ou demonstraram interesse de entrar para o bloco criado em 2009, que representa quase 25% do PIB e 42% da população mundial.

A China era a grande interessada na ampliação dos BRICS. A maior economia do grupo, que representa quase 70% do PIB do bloco, deseja ter prestígio diplomático e promover aproximação política e econômica, seja na Ásia ou em outros continentes.

Brasil, África do Sul e Índia eram contrários ao aumento do bloco. O acordo saiu após os chineses concordarem com a reforma do Conselho de Segurança da ONU. Os três países são candidatos a uma vaga permanente no organismo, enquanto chineses e russos já têm esse status.

Com isso, o BRICS terá cerca de 46% da população mundial e quase 36% do PIB global em paridade de compra. A adesão foi oficializada na Declaração de Joanesburgo, documento acordado entre todos os atuais integrantes do BRICS.

“Neste mundo em transição, o BRICS nos oferece uma fonte de soluções criativas para os desafios que enfrentamos. A relevância do BRICS é confirmada pelo interesse crescente que outros países demonstram de adesão ao agrupamento. Entre os vários resultados da cúpula de hoje, ressalto a ampliação do BRICS, com a inclusão de novos membros”, disse Lula em seu discurso.

O primeiro-ministro etíope, Abiy Ahmed, celebrou a decisão e afirmou que a entrada no bloco representa uma "momento forte" para o país africano.

Um conselheiro do presidente iraniano Ibrahim Raissi, Mohammad Jamshidi, destacou que a adesão do Irã é um "sucesso estratégico para a política externa da República Islâmica".

A 15ª Cúpula de chefes de Estado do BRICS se encerra nesta quinta-feira, após duas sessões ampliadas com participação dos países-membro e mais nações convidadas. Após o fim da conferência, Lula viaja para Angola, onde fará uma visita de Estado, e depois para São Tomé e Príncipe, para participar da conferência de chefes de Estado da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
No Egito, Lula diz trabalhará pela criação da moeda comum dos Brics
Brasil

No Egito, Lula diz trabalhará pela criação da moeda comum dos Brics

Há 2 semanas

Lula e Janja visitam pirâmides de Gizé, no Egito
Brasil

Lula e Janja visitam pirâmides de Gizé, no Egito

Há 2 semanas

Lula viaja para Egito e Etiópia e completa 29 países visitados desde o início do 3º mandato
Brasil

Lula viaja para Egito e Etiópia e completa 29 países visitados desde o início do 3º mandato

Há 2 semanas

Ministra da África do Sul confirma entrada de 5 países no Brics, além de recusa da Argentina
Mundo

Ministra da África do Sul confirma entrada de 5 países no Brics, além de recusa da Argentina

Há 2 meses

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais