Acompanhe:

Boris Johnson retorna ao Reino Unido e reforça boatos de candidatura

Três nomes aparecem com força até o momento na campanha relâmpago do Partido Conservador que decidirá na próxima semana o novo primeiro-ministro do país

Modo escuro

Continua após a publicidade
O ex-primeiro-ministro britânico Boris Johnson retornou neste sábado a Londres após um período de férias, em meio aos rumores de uma candidatura para voltar a ocupar o posto de chefe de Governo após a renúncia de Liz Truss. (NurPhoto / Colaborador/Getty Images)

O ex-primeiro-ministro britânico Boris Johnson retornou neste sábado a Londres após um período de férias, em meio aos rumores de uma candidatura para voltar a ocupar o posto de chefe de Governo após a renúncia de Liz Truss. (NurPhoto / Colaborador/Getty Images)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 22 de outubro de 2022 às, 13h10.

O ex-primeiro-ministro britânico Boris Johnson retornou neste sábado a Londres após um período de férias, em meio aos rumores de uma candidatura para voltar a ocupar o posto de chefe de Governo após a renúncia de Liz Truss.

Três nomes aparecem com força até o momento na campanha relâmpago do Partido Conservador que decidirá na próxima semana o novo primeiro-ministro do país: a atual ministra de Relações com o Parlamento, Penny Mordaunt, que anunciou a candidatura na sexta-feira; Rishi Sunak, ex-ministro das Finanças que perdeu a disputa para Truss em setembro; e Boris Johnson, que renunciou em julho após uma série de escândalos.

O novo chefe de Governo terá que lidar com um Partido Conservador abalado pelas divisões, com a oposição trabalhista em grande vantagem nas pesquisas de intenção de voto e uma grave crise econômica, que inclui o caos nos mercados financeiros e uma inflação recorde em quatro décadas.

A disputa entre Johnson e Rishi Sunak domina a imprensa britânica neste sábado. "Johnson e Sunak lideram a corrida enquanto evapora a esperança de unidade", afirma a manchete do jornal The Independent. "As tribos conservadoras partem para a guerra", destaca o The Guardian.

O canal Sky News exibiu ao vivo o pouso de um avião da British Airways às 10H15 (6H15 de Brasília) no aeroporto de Gatwick, no qual estaria Johnson, que encerrou suas férias.

Na sexta-feira à noite, um aliado de Boris Johnson no Parlamento, James Duddridge, afirmou que o ex-primeiro-ministro apresentaria a candidatura. "Ele disse: 'Vamos fazer isto, estou pronto'", afirmou BoJo segundo o deputado, que se comunicou com o ex-premiê por WhatsApp.

Mas Johnson, que deixou o Parlamento em 20 de julho com a frase "Hasta la vista, baby!", ainda não anunciou oficialmente sua candidatura.

Embora também não tenha anunciado suas intenções, Rishi Sunak, cujo pedido de demissão do governo de Johnson precipitou a queda deste último, recebeu na sexta-feira o apoio mínimo de 100 parlamentares conservadores para entrar oficialmente na disputa.

Caso entre na corrida e ninguém mais obtenha o respaldo de 100 parlamentares, Sunak se tornaria automaticamente o novo líder do Partido Conservador e primeiro-ministro.

- "A pior ideia em 46 anos" -

Liz Truss renunciou na quinta-feira, depois de apenas 44 dias no cargo, período marcado pela crise econômica provocada em particular por suas próprias decisões.

Os aspirantes à sucessão devem apresentar até 14H00 (10H00 de Brasília) de segunda-feira o apoio de pelo menos 100 dos 357 parlamentares conservadores, o que limita a disputa a três candidaturas no máximo.

Os deputados terão duas votações: a primeira reduzirá a disputa para dois nomes e a segunda servirá como "indicação" aos membros do partido sobre a opção preferida dos parlamentares.

Depois, exceto se um dos dois candidatos retirar seu nome da disputa, os 170.000 afiliados do Partido Conservador definirão a questão em uma votação virtual até 28 de outubro.

O portal político Guido Fawkes, que monitora os apoios dos deputados a cada possível candidato, registrava neste sábado 107 "votos" para Sunak, 71 para Johnson e 25 para Mordaunt.

Ao mesmo tempo, os aliados de Sunak fazem campanha na imprensa.

"Tenho certeza de que vai concorrer. É o candidato ideal", declarou ao canal Sky News o ex-ministro da Justiça Dominic Raab. "Se você observa o desafio econômico que enfrentamos, ele é quem sempre teve razão sobre o que precisamos", completou.

William Hague, ex-presidente do Partido Conservador, alertou que um retorno de Boris Johnson levaria a uma "espiral da morte" para os 'tories'.

"É provavelmente a pior ideia que ouvi nos 46 anos que tenho como membro do partido", declarou Hague à emissora Times Radio.

Últimas Notícias

Ver mais
CPI anual da zona do euro desacelera a 2,4% em março
Economia

CPI anual da zona do euro desacelera a 2,4% em março

Há 2 dias

Israel está planejando retaliação ao Irã, diz Reino Unido
Mundo

Israel está planejando retaliação ao Irã, diz Reino Unido

Há 2 dias

Taxa de desemprego no Reino Unido sobe a 4,2% no trimestre até fevereiro; salários perdem força
Economia

Taxa de desemprego no Reino Unido sobe a 4,2% no trimestre até fevereiro; salários perdem força

Há 3 dias

Sunak: Conversarei com Netanyahu e pedirei 'moderação' quanto ao Irã
Mundo

Sunak: Conversarei com Netanyahu e pedirei 'moderação' quanto ao Irã

Há 4 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais