Mundo

Alemanha reabre parcialmente as fronteiras após dois meses

Após surto do coronavírus, fluxo de pessoas nas fronteiras com a França, a Suíça e a Áustria terá controles mais flexíveis a partir do sábado

Coronavírus: viagens não essenciais continuarão sendo proibidas na Alemanha (Fabrizio Bensch/Reuters)

Coronavírus: viagens não essenciais continuarão sendo proibidas na Alemanha (Fabrizio Bensch/Reuters)

DR

Da Redação

Publicado em 15 de maio de 2020 às 06h21.

Última atualização em 15 de maio de 2020 às 16h21.

Depois de dois meses fechadas, as fronteiras da Alemanha serão parcialmente reabertas a partir deste sábado, 16. Os postos de controle ainda continuarão funcionando por mais um mês, mas o governo vai permitir a entrada de viajantes de nações vizinhas que tenham razões válidas para entrar no país – como visitar um parente, por exemplo.

As novas regras valem para as fronteiras com a França, a Suíça e a Áustria. Viagens que não são consideradas essenciais continuarão sendo proibidas, mas a partir de agora os agentes só irão checar os veículos de forma aleatória. Antes, toda pessoa era obrigada a passar pelos postos de controle. As regras mais flexíveis também vão ser aplicadas para os passageiros que chegarem da Espanha e da Itália de avião. No caso da fronteira terrestre da Alemanha com Luxemburgo, o tráfego será liberado sem restrições já a partir de sábado.

A decisão do governo alemão é um alívio para a economia dos estados alemães localizados nas fronteiras. Essas regiões costumam ter fortes ligações com as cidades próximas que ficam nos países vizinhos. Pessoas de um lado e do outro muitas vezes precisam cruzar a fronteira para trabalhar, fazer entregas ou fechar contratos com clientes.

O Ministério do Interior da Alemanha diz que vai acompanhar a evolução dos casos da covid-19 e afirma que, se houver um novo surto, os controles na fronteira poderão ser endurecidos a qualquer momento. A meta do governo alemão é liberar totalmente a circulação em 15 junho caso a epidemia esteja controlada.

A reabertura parcial das fronteiras da Alemanha ocorre num momento em que o número de casos ativos nos países europeus vem caindo gradualmente. Na quinta-feira, a Alemanha registrou 927 novos casos, chegando a mais de 174.000 pacientes confirmados e 7.884 mortes. O número aumentou desde que a Alemanha aliviou as medidas de quarentena, permitindo a abertura do comércio. Mas é menor do que durante o pico da epidemia, entre o fim de março e o meio de abril. No dia 2 de abril, a Alemanha chegou a registrar 6.900 casos em apenas um dia.

As demais fronteiras da Alemanha com Dinamarca, Polônia e República Checa continuam fechadas por falta de acordo com os governos desses países. A Alemanha diz que está negociando com a Dinamarca para adotar as mesmas regras mais flexíveis. O controle parcial já é aplicado nas fronteiras com a Bélgica e os Países Baixos (Holanda) por decisão dos estados alemães que fazem fronteira com esses países.

A decisão da Alemanha acontece dias depois de a Comissão Europeia – braço executivo da União Europeia – divulgar suas recomendações sobre a volta da circulação de pessoas entre os países da região. A Comissão recomendou que os países mantenham as restrições às viagens na Europa até o dia 15 de junho. A reabertura deve ser feita de forma gradual e apenas entre os países que têm quadros epidemiológicos semelhantes. Ainda não é uma volta à normalidade, mas a medida é um sinal de esperança para os europeus.

Acompanhe tudo sobre:AlemanhaCoronavírusExame Hoje

Mais de Mundo

Dalai Lama chega a Nova York para tratamento nos joelhos

Chefe de Governo alemão pede a Milei para prestar atenção à 'coesão social'

Calor extremo mata mais de mil pessoas durante peregrinação a Meca

Ministro israelense viaja a Washington para negociações cruciais sobre guerra em Gaza

Mais na Exame