Mundo

5 previsões para os carros elétricos em 2012

Depois de roubar a cena nos salões de automóveis em 2011, os veículos ecológicos devem ganhar mais atenção este ano; preços ainda serão entrave à popularização

Motorista recarrega seu Smart elétrico (Getty Images)

Motorista recarrega seu Smart elétrico (Getty Images)

Vanessa Barbosa

Vanessa Barbosa

Publicado em 2 de janeiro de 2012 às 13h05.

São Paulo – Sai ano, entra ano, e os quatro-rodas verdes continuam a atrair olhares desconfiados de muita gente. Mas pouco a pouco, o mercado vem se empenhando em mudar essa imagem de algo “fantasioso e inviável” associada aos modelos elétricos e híbridos. Depois de roubar a cena nos salões de automóveis em 2011, os veículos ecológicos devem ganhar mais atenção este ano.

Segundo previsões da consultoria PikeResearch, especializada em tecnologias limpas, as versões verdes devem seduzir novos adeptos principalmente a partir de programas de aluguel de carros, os chamados car sharing, e também por incentivos empresariais. O desafio será batalhar por preços mais acessíveis. Os valores salgados ainda assustam e impedem a popularização dos verdinhos. Confira a seguir cinco tendências identificadas pela consultoria para os elétricos:

1 - Eles vieram para ficar

O aumento da disponibilidade e variedade de modelos elétricos e híbridos vai pôr um fim nas especulações sobre a viabilidade da tecnologia. Segundo a Pike Research, o ano de 2012 marcará a transição dos elétricos de um tempo de disponibilidade limitada (tanto em volume quanto em geografia) para uma alternativa de transporte sustentável e crível. Estima-se que as vendas globais de carros elétricos vão superar 257 mil unidades este ano. São esperados os primeiros lançamentos comerciais de versões ecológicas da BMW, Ford, Honda e Volvo. 

2 - Programas de car sharing vão esquentar o mercado

Os serviços de aluguel de carros por períodos determinados prometem aquecer o mercado de modelos ecologicamente corretos. Isso porque, em grandes centros urbanos, esse tipo de programa vem sendo considerado um aliado para redução dos níveis de poluição. Claro que não são todos que oferecem carros elétricos, mas alguns importantes, como o Autolib, em Paris, e o City Car Share, em São Francisco, nos EUA, usam apenas modelos ecológicos. Com isso, quem nunca dirigiu um elétrico mas simpatiza com a proposta pode alugar os veículos e se divertir, e mesmo aqueles mais céticos em relação à tecnologia podem experimentar e, quem sabe, acabar gostando. 

3 - Energia para dar e vender

Imagine poder vender para a rede elétrica a energia acumulada na bateria do carro. Grosso modo, essa é a ideia do V2G (Vehicle to Grid), uma tecnologia ainda embrionária, mas que deve se tornar realidade em 2012, ainda que de forma tímida.


Por concentrar quase metade do mercado de elétricos em 2012, os países da região Ásia-Pacífico deverão implementar os primeiros testes com V2G. Na esteira do tsunami e terremoto que abalaram o Japão em março passado, grupos como Nissan e Mitsubishi decidiram desenvolver equipamentos que permitam aos veículos fornecer energia a um edifício em situações de emergências, quando a rede elétrica fica indisponível.

4 - Preços continuarão a decepcionar 

Os valores salgados da maior parte dos carros elétricos e híbridos continuarão depondo contra a popularização dos modelos ecológicos em todo mundo. De acordo com uma pesquisa de consumo da Pike Research, o preço ideal para os elétricos se tornarem atraentes e acessíveis à população gira em torno de 23 mil dólares. Na prática, as cifras são maiores. O Toyota Prius, por exemplo, custa em média 32 mil dólares, já a versão elétrica do Honda Fit vai a 36 mil dólares, enquanto o Ford Focus EV custa quase o dobro do ideal, cerca de 40 mil dólares.

5 – Empresas vão apostar na motorização verde

Que tal ganhar um incentivo para ir trabalhar com um carro elétrico? Essa é mais umas das tendências para o mercado em 2012, especialmente na Europa e na Ásia Pacífico. O estudo prevê que empregadores à procura de atrair e reter profissionais vão começar a oferecer gratuitamente ou a baixo custo recarga elétrica. Nos Estados Unidos, empresas como a Adobe, SAP, e Google já disponibilizam carregadores em suas instalações. 

Acompanhe tudo sobre:AutoindústriaCarrosCarros elétricosCarros híbridosSustentabilidadeTecnologias limpasVeículos

Mais de Mundo

Ataque aéreo de Israel a Rafah após novo ataque do Hamas deixa ao menos 35 mortos

Doze pessoas ficam feridas por conta de turbulência durante voo da Qatar Airways

Tornados e tempestades deixam ao menos 14 mortos no sul dos EUA

Arábia Saudita nomeia primeiro embaixador na Síria desde 2012

Mais na Exame