• AALR3 R$ 20,05 -0.10
  • AAPL34 R$ 70,14 2.51
  • ABCB4 R$ 16,74 0.48
  • ABEV3 R$ 14,33 0.84
  • AERI3 R$ 3,75 -0.79
  • AESB3 R$ 10,90 -0.18
  • AGRO3 R$ 31,75 0.99
  • ALPA4 R$ 22,70 2.39
  • ALSO3 R$ 19,69 4.46
  • ALUP11 R$ 26,25 -0.94
  • AMAR3 R$ 2,58 -0.39
  • AMBP3 R$ 32,28 -0.22
  • AMER3 R$ 21,86 1.67
  • AMZO34 R$ 3,42 1.18
  • ANIM3 R$ 5,55 0.00
  • ARZZ3 R$ 82,89 1.99
  • ASAI3 R$ 15,98 -0.68
  • AZUL4 R$ 21,08 0.62
  • B3SA3 R$ 12,71 2.42
  • BBAS3 R$ 37,14 -0.85
  • AALR3 R$ 20,05 -0.10
  • AAPL34 R$ 70,14 2.51
  • ABCB4 R$ 16,74 0.48
  • ABEV3 R$ 14,33 0.84
  • AERI3 R$ 3,75 -0.79
  • AESB3 R$ 10,90 -0.18
  • AGRO3 R$ 31,75 0.99
  • ALPA4 R$ 22,70 2.39
  • ALSO3 R$ 19,69 4.46
  • ALUP11 R$ 26,25 -0.94
  • AMAR3 R$ 2,58 -0.39
  • AMBP3 R$ 32,28 -0.22
  • AMER3 R$ 21,86 1.67
  • AMZO34 R$ 3,42 1.18
  • ANIM3 R$ 5,55 0.00
  • ARZZ3 R$ 82,89 1.99
  • ASAI3 R$ 15,98 -0.68
  • AZUL4 R$ 21,08 0.62
  • B3SA3 R$ 12,71 2.42
  • BBAS3 R$ 37,14 -0.85
Abra sua conta no BTG

Preço do aluguel residencial registra maior alta mensal desde 2011

Dados do Índice FipeZap+ apontam que o valor médio dos aluguéis de imóveis no país subiu 1,36% em fevereiro e 5,89% em 12 meses
Aluguel residencial: a variação em fevereiro apurada pelo Índice FipeZAP+ superou a inflação ao consumidor no período (Getty Images/Boonchai wedmakawand)
Aluguel residencial: a variação em fevereiro apurada pelo Índice FipeZAP+ superou a inflação ao consumidor no período (Getty Images/Boonchai wedmakawand)
Por Karla MamonaPublicado em 16/03/2022 06:15 | Última atualização em 15/03/2022 23:34Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A inflação disseminada está presente cada vez mais na vida dos brasileiros. O preço médio dos aluguéis de imóveis residenciais no país subiu 1,36% em fevereiro na comparação com janeiro, segundo dados do Índice FipeZap+.

Trata-se da maior alta registrada desde dezembro de 2011 (+1,39%). A variação superou a inflação ao consumidor no período medida pelo IPCA, do IBGE (+1,01%), mas ficou abaixo da inflação apurada pelo IGP-M, da FGV (+1,83%).

O Índice FipeZAP+ acompanha o preço médio de locação de apartamentos prontos em 25 cidades brasileiras, com base em anúncios veiculados na internet.

Foi o oitavo avanço consecutivo do índice e uma nova aceleração frente às variações apuradas em julho (+0,13%), agosto (+0,37%), setembro (+0,52%), outubro (+0,57%), novembro (+0,66%) e dezembro (+0,80%), bem como em janeiro de 2022 (+1,03%).

No acumulado em 12 meses até fevereiro, o Índice FipeZAP+ de aluguel acumula alta de 5,89%. A variação é inferior à inflação registrada tanto pelo IPCA (+10,54%) quanto pelo IGP-M (+16,12%) no mesmo período

Em fevereiro, as capitais tiveram a seguinte variação no aluguel:

  • Goiânia: +4,92%
  • Salvador: +2,45%
  • Florianópolis: +2,38%
  • Fortaleza: +2,36%
  • Recife: +1,96%
  • Belo Horizonte: +1,77%
  • Rio de Janeiro: +1,52%
  • Curitiba: +1,44%
  • São Paulo: +0,87%
  • Brasília: +0,68%
  • Porto Alegre: +0,21%

Descubra o passo a passo para obter uma renda extra com Fundos Imobiliários por toda a vida

Nas capitais em 12 meses

Entre as 11 capitais monitoradas, os maiores avanços de preço nos últimos 12 meses foram registrados em:

  • Curitiba: +15,73%
  • Fortaleza: +14,37%
  • Goiânia: +14,10%
  • Florianópolis: +13,46%
  • Recife: +12,54%

Em relação ao preço médio do aluguel de imóveis residenciais, os dados apontaram R$ 32,26/m² em fevereiro de 2022.

Comparando-se a apuração nesse mês nas capitais acompanhadas, São Paulo apresentou o preço médio de locação residencial mais elevado no último período (R$ 40,25/m²), seguida pelos valores médios registrados em: Recife (R$ 36,77/m²), Brasília (R$ 34,62/m²) e Rio de Janeiro (R$ 32,91/m²).

Já as capitais monitoradas com menor valor de locação residencial no último período estão: Fortaleza (R$ 19,65/m²), Goiânia (R$ 21,36/m²), Curitiba (R$ 24,70/m²) e Porto Alegre (R$ 24,99/m²).