Índice Especulômetro EXAME-Loft: veja onde a especulação imobiliária diminuiu em São Paulo

Indicador aponta a diferença entre o valor de anúncio de imóvel e o de registro para ampliar a transparência do mercado
Vila Nova Conceição: bairro tem o metro quadrado mais caro de São Paulo (Germano Luders/EXAME/Exame)
Vila Nova Conceição: bairro tem o metro quadrado mais caro de São Paulo (Germano Luders/EXAME/Exame)
Karla Mamona
Karla MamonaPublicado em 18/11/2022 às 08:59.

especulação imobiliária segue estável na cidade de São Paulo. É o que aponta a nova edição do Índice Especulômetro EXAME-Loft, que reúne a EXAME com a Loft, uma das principais startups dedicadas ao mercado de imóveis no país.

A especulação imobiliária é medida por meio da diferença média de preço entre o valor pedido pelo proprietário e o efetivamente acertado em contrato, ou seja, existe uma oportunidade de negociação para quem deseja comprar um imóvel. A Loft analisa os valores anunciados e os dados do ITBI (imposto sobre transações imobiliárias) divulgados pela Prefeitura de São Paulo.

No levantamento do último trimestre, os dados apontam que dos 24 bairros analisados, apenas a Lapa registrou aumento quanto se trata de especulação. Na região, a diferença entre o preço anunciado e o valor de fechamento do contrato nas transações é de 27,05% Para sair da estabilidade, é necessário que no agregado do período de três meses a variação for igual ou superior a 10 pontos percentuais.

Rodger Campos, gerente de dados da Loft, explica que os últimos dois Índices Especulômetro EXAME-Loft, a Lapa registrou aumento seguido entre o valor anunciado e o transacionado. Ele destaca que neste bairro, o panorama está mudando mês a mês, especialmente nos preços médios transacionados. “Ainda não conseguimos saber em que taxa vai se acomodar o indicador de especulação, mas o movimento na região é de redução."

Em contrapartida, três bairros tiveram redução significativa da diferença entre os valores anunciados e transacionados: Itaim Bibi, Jardim Paulistano e Vila Nova Conceição.

No Itaim Bibi, a diferença entre o preço anunciado e o valor de fechamento do contrato nas transações é de 14,79%. No Jardim Paulistano e Vila Nova Conceição é diferença é de 23,73% e 11,83%, respectivamente.

Sobre o Itaim, Rodger Campos, afirmou que o bairro está num movimento consistente de aumento do preço do m2 transacionado. É a segunda edição do Especulômetro que o bairro está com tendência de alta significativa. “Os apartamentos transacionados estão com características semelhantes, ou seja, a variação parece mesmo um movimento no mercado, e não apenas oferta de tipos de imóveis diferentes". Dessa maneira, como os preços pedidos nos anúncios não subiram significativamente, a diferença entre anunciado e transacionado foi reduzida.

Made with Flourish

Preço do metro quadrado

Os dados apontam ainda o preço do metro quadrado dos bairros analisados. A República tem o metro quadrado mais baixo entre os bairros, de R$ 6.790, seguido pela Bela Vista (R$ 8.407) e Lapa (R$ 8.448). Em contrapartida, a Vila Nova Conceição tem o metro quadrado mais caro, de R$ 16.439. Veja tabela completa abaixo:

Made with Flourish