Mercado imobiliário

FipeZap: preço dos imóveis sobe em todas as capitais em janeiro

Nos últimos 12 meses o preço de imóveis nas capitais subiu em média 5,47%

São Paulo: preço médio é de R$ 9.751 por metro quadrado (Leandro Fonseca/Exame)

São Paulo: preço médio é de R$ 9.751 por metro quadrado (Leandro Fonseca/Exame)

Karla Mamona

Karla Mamona

Publicado em 3 de fevereiro de 2022 às 12h15.

Última atualização em 4 de fevereiro de 2022 às 10h20.

preço dos imóveis residenciais à venda no país encerrou janeiro com alta de 0,53%, segundo dados do Índice FipeZap. A alta é pouco menor do que a expectativa para a inflação no mês, de 0,54%. O índice monitora o preço médio de imóveis anunciados para venda em 16 capitais.

Houve aumento no preço de imóveis residenciais em todas as capitais, destacando-se: Goiânia (+2,02%), Campo Grande (+1,98%), Maceió (+1,65%), Vitória (+1,57%), Florianópolis (+1,22%), Brasília (+0,77%), João Pessoa (+0,73%), Fortaleza (+0,71%) e Curitiba (+0,67%).

Onde Investir em 2022? Faça o teste e descubra se você está preparado para encontrar as melhores oportunidades de investimento do ano!

Já as menores variações foram observadas em: Porto Alegre (+0,10%), Rio de Janeiro (+0,17%), Recife (+0,30%), Belo Horizonte (+0,36%), Manaus (+0,45%), São Paulo (+0,47%) e Salvador (+0,49%).

Nos últimos 12 meses o preço de imóveis nas capitais subiu em média 5,47%, inferior ao comportamento esperado do IPCA para o período (10,38%).

Preço médio de imóveis

Em janeiro, o preço médio de venda de imóveis residenciais foi de R$ 7.905 por metro quadrado. Entre as capitais, os maiores valores médios foram apurados em São Paulo (R$ 9.751/m²) e Rio de Janeiro (R$ 9.664/m²). Já entre as cidades com menor preço médio de venda, estão Campo Grande (R$ 4.679/m²), João Pessoa (R$ 4.961/m²) e Goiânia (R$ 5.216 /m²).

Acompanhe tudo sobre:EXAME-no-InstagramImóveisMercado imobiliárioPrédios residenciaisZAP Imóveis

Mais de Mercado imobiliário

O que acontece se não fizermos inventário para partilha do imóvel? O governo pode tomar nossos bens?

Zuk quer dobrar de tamanho colocando leilão no radar dos compradores de imóveis

Apartamentos pequenos são mais caros que os maiores – saiba o por quê

Onde estão os condomínios mais caros do Brasil? Bairros de RJ e SP disputam liderança

Mais na Exame