Mercado imobiliário

Aluguel rende mais nos apartamentos de apenas um dormitório – entenda o por quê

Índice FipeZAP mensalmente analisa a dinâmica de preços de aluguel em 50 cidades selecionadas

Imóveis (Oleksandra Yagello/Getty Images)

Imóveis (Oleksandra Yagello/Getty Images)

Beatriz Quesada
Beatriz Quesada

Repórter de Invest

Publicado em 21 de maio de 2024 às 08h21.

Comprar um imóvel pode ser uma decisão de moradia, mas também de investimento. Os investidores que escolhem colocar sua propriedade para locação de olho no rendimento do aluguel devem estar atentos à rentabilidade que essa operação oferece em comparação a outras opções.

O aluguel mais interessante em termos de rentabilidade é o que vem dos apartamentos de um dormitório. A conclusão é do Índice FipeZAP, que mensalmente analisa a dinâmica de preços em 50 cidades selecionadas (veja metodologia abaixo). 

Com base em dados de abril de 2024, o retorno médio do aluguel residencial dos apartamentos de um dormitório ficou em 6,57% ao ano – acima da taxa de juros real, que ficou em 6,41% nos cálculos do índice. 

Esse tipo de imóvel também se destaca na média dos imóveis para locação, cuja rentabilidade ficou em 5,86% ao ano. As menos rentáveis foram as propriedades com quatro ou mais dormitórios, que tiveram rentabilidade de 4,56% ao ano.

Aqui entra uma tendência que já tem se observado há algum tempo no mercado imobiliário: a preferência por unidades mais centrais, ainda que compactas. “A valorização de imóveis com um dormitório demonstra uma preferência por localizações com fácil acesso a serviços e distritos comerciais, mesmo que isso resulte em espaços menores”, afirmou Ana Tedesco, economista do DataZAP.

A cidade de São Paulo é o maior expoente das unidades compactas e centrais, mas, segundo Tedesco, o movimento pode se espalhar além da capital paulista. 

“É uma tendência que se aplica em locais onde o contínuo processo de urbanização resultou em áreas densamente povoadas, o que gerou limitações de espaço. No Brasil, podemos observar essa tendência principalmente nas capitais. Isso não impede, porém, que cidades do interior que sejam densamente povoadas passem pelo mesmo processo”, afirmou.

Quais são as cidades com maior rentabilidade de aluguel?

Entre as cidades estudadas, a que apresentou maior rentabilidade dos aluguéis foi Santos (SP), seguida por Praia Grande (SP) – ambas no litoral paulista, com 8,52% e 7,85% de rentabilidade ao ano, respectivamente.

Já entre as capitais, a maior rentabilidade fica com Recife (PE), que tem um indicador de 7,45%. A capital paulista tem rentabilidade de 5,93% ao ano, pouco acima da média ponderada das cidades estudadas.

Veja abaixo a lista das cidades com maior rentabilidade de aluguel segundo o  Índice FipeZAP:

Índice FipeZAP de maio

O preço do aluguel residencial subiu 1,38% em abril, segundo o Índice FipeZap, divulgado nesta terça-feira, 20. Entre as 25 cidades analisadas pelo índice, 24 tiveram alta – a exceção foi Barueri (SP), que registrou baixa de 0,34%. A cidade com maior aceleração foi Campinas (SP), com avanço de 2,91% nos preços para aluguel.

A variação anual do índice ficou acima dos resultados acumulados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do IBGE (+0,38%) e do Índice Geral de Preços-Mercado da FGV (+0,31%). O preço do aluguel residencial subiu mais de três vezes o IPCA, principal indicador de inflação do Brasil.

Metodologia do Índice FipeZAP 

O Índice FipeZAP é um índice de preço que acompanha os preços de imóveis residenciais e comerciais – foi o primeiro indicador nacional lançado para este acompanhamento. 

O índice é calculado pela Fipe com base em informações de anúncios de imóveis para venda e locação veiculados nos portais ZAP (VivaReal e Zap Imóveis).

No caso dos índices do segmento residencial, o cálculo envolve amostras de anúncios de apartamentos prontos em até 50 cidades selecionadas. Já no caso dos índices do segmento comercial, os anúncios utilizados se referem a salas e conjuntos comerciais de até 200 m², sediados em 10 cidades selecionadas.

Acompanhe tudo sobre:indice-fipezapaluguel-de-imoveisImóveis

Mais de Mercado imobiliário

Como é morar na Vila Guilherme? Conheça a história do bairro

Como é morar na Berrini? Conheça melhor o bairro

Esta capital do Nordeste liderou aumento nos preços de aluguel em maio; entenda o porquê

De executiva a empreendedora: a CEO do mercado imobiliário que decidiu mudar de rota aos 40 anos

Mais na Exame