Mercados

Vrio, DirecTV Latin America, faz pedido de IPO

A Vrio, DirecTV Latin America, encaminhou nesta quarta-feira pedido de oferta pública inicial de ações ao órgão regulador dos mercados norte-americanos

Vrio, DirecTV Latin America: As operadoras de TV por assinatura estão enfrentando dura competição em um momento em que os consumidores estão se voltando a serviços de streaming (yelo34/Thinkstock)

Vrio, DirecTV Latin America: As operadoras de TV por assinatura estão enfrentando dura competição em um momento em que os consumidores estão se voltando a serviços de streaming (yelo34/Thinkstock)

R

Reuters

Publicado em 7 de março de 2018 às 14h26.

A Vrio, DirecTV Latin America, encaminhou nesta quarta-feira pedido de oferta pública inicial de ações ao órgão regulador dos mercados norte-americanos (SEC) em operação que listará os papéis na bolsa de Nova York.

O plano inicial da AT&T, controladora Vrio, era vender a unidade para pagar dívida, que vai subir para cerca de 180 bilhões de dólares assim que concluir a compra da Time Warner.

No mês passado, a AT&T apresentou em sigilo o pedido de IPO da unidade, que inclui serviços de satélite e TV no Brasil, Colômbia, Argentina e outros países. No Brasil a empresa opera sob a marca Sky.

As operadoras de TV por assinatura estão enfrentando dura competição em um momento em que os consumidores estão se voltando a serviços de transmissão de vídeo pela internet como Netflix e Amazon Prime.

A empresa teve receita de 5,57 bilhões de dólares em 2017, crescimento de 11 por cento, impulsionada por aumento nas assinaturas. O lucro foi de 213 milhões de dólares ante prejuízo de 348 milhões de dólares um ano antes.

 

Acompanhe tudo sobre:AçõesAT&TIPOs

Mais de Mercados

"Se Lula indicar nome pior que Galípolo para o BC, o mercado entrará em pânico", diz Marilia Fontes

Ibovespa sobe e fecha acima dos 121 mil pontos com ajuda de Petrobras (PETR4) e Itaú (ITUB4)

PMIs da zona do euro e dos EUA, repercussão de falas do Lula e Sabesp: o que move o mercado

Elon Musk vai receber bônus de R$ 305 bilhões como remuneração de acionistas da Tesla

Mais na Exame