Mercados

T4F, que tem fundo da Gávea entre sócios, fará IPO

A T4F diz ser a empresa líder no mercado de entretenimento ao vivo na América do Sul e a terceira maior do mundo

Steve Tyler, o líder do Aerosmith: uma das bandas promovidas pela T4F no último ano (OTAVIO SOUSA /EXAME.com)

Steve Tyler, o líder do Aerosmith: uma das bandas promovidas pela T4F no último ano (OTAVIO SOUSA /EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 27 de janeiro de 2011 às 16h33.

São Paulo - A empresa de entretenimento Time For Fun (T4F) entrou com pedido para realizar uma Oferta Pública Inicial de ações (IPO, na sigla em inglês).

Entre os sócios da T4F está um fundo da Gávea Investimentos --criada pelo ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga e que teve seu controle comprado pelo JPMorgan em outubro passado.

A T4F realizará uma oferta primária e secundária de ações, segundo informações disponíveis no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta quinta-feira. O coordenador-líder da operação é o Credit Suisse. Também participam da oferta BTG Pactual e Bradesco BBI.

A T4F diz ser a empresa líder no mercado de entretenimento ao vivo na América do Sul e a terceira maior do mundo. A companhia é proprietária das casas de espetáculos Credicard Hall, Citibank Hall e Teatro Abril, em São Paulo; Citibank Hall, no Rio de Janeiro; e Citi Opera, em Buenos Aires.

A companhia teve receita líquida de 569,2 milhões de reais em 2010, aumento de 31 por cento sobre o ano anterior. O lucro líquido foi de 40,3 milhões de reais, ante resultado positivo de 6 milhões de reais em 2009.

Detalhes como quantidade de ações na oferta e cronograma da operação ainda não estavam disponíveis no prospecto preliminar do IPO disponível na CVM.

Acompanhe tudo sobre:AçõesEntretenimentoIPOsMercado financeiroServiços

Mais de Mercados

"Se Lula indicar nome pior que Galípolo para o BC, o mercado entrará em pânico", diz Marilia Fontes

Ibovespa sobe e fecha acima dos 121 mil pontos com ajuda de Petrobras (PETR4) e Itaú (ITUB4)

PMIs da zona do euro e dos EUA, repercussão de falas do Lula e Sabesp: o que move o mercado

Elon Musk vai receber bônus de R$ 305 bilhões como remuneração de acionistas da Tesla

Mais na Exame