Mercados

Dólar tem leves oscilações à espera de reforma da Previdência

Às 10:43, o dólar avançava 0,22%, a 3,2595 reais na venda, depois de bater 3,2478 reais na mínima do dia

Dólar: mercado também estava de lado, com baixa liquidez, por conta do feriado do Dia de Ação de Graças nos EUA (Gary Cameron/Reuters)

Dólar: mercado também estava de lado, com baixa liquidez, por conta do feriado do Dia de Ação de Graças nos EUA (Gary Cameron/Reuters)

R

Reuters

Publicado em 22 de novembro de 2017 às 10h54.

São Paulo - O dólar registrava pequenas oscilações ante o real nesta quarta-feira, com os investidores em compasso de espera diante das articulações do presidente Michel Temer para tentar garantir apoio político para aprovar a reforma da Previdência.

O mercado também estava de lado, com baixa liquidez, por conta do feriado do Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos, que manterá as praças norte-americanas fechadas no dia seguinte.

Às 10:43, o dólar avançava 0,22 por cento, a 3,2595 reais na venda, depois de bater 3,2478 reais na mínima do dia. O dólar futuro era negociado praticamente estável.

"A dúvida do mercado é o que sobrará do projeto inicial (da Previdência)", comentou em relatório o operador da Advanced Corretora, Alessandro Faganello.

À noite, Temer oferecerá um jantar a deputados da base aliada para apresentar a nova e mais enxuta versão do texto da reforma, com a presença do relator da proposta, deputado Arthur de Oliveira Maia (PPS-BA).

A investida busca garantir os 308 votos necessários na Câmara dos Deputados. Por ser uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), a reforma da Previdência precisa também do apoio de 49 dos 81 senadores.

O presidente também elabora uma reforma ministerial para agradar os partidos que dão apoio ao governo.

A cautela também vinha da cena externa às vésperas do feriado nos Estados Unidos. O dólar cedia ante uma cesta de moedas nesta sessão e operava com leves variações frente a algumas moedas de países emergentes, como o peso chileno.

Às 17:00 (horário de Brasília), o Federal Reserve, banco central norte-americano, divulgará a ata do encontro de política monetária passado, que deve consolidar as apostas de mais um aumento de juros no país em dezembro.

Acompanhe tudo sobre:CâmbioDólarMoedas

Mais de Mercados

Smart Fit (SMFT3) confirma intenção de compra da academia Velocity

Ata do Copom, Boletim Focus e IPCA-15: o que move o mercado

Como esta gestora brasileira surfou onda das bolsas americanas e rendeu 400% em 5 anos

"Se Lula indicar nome pior que Galípolo para o BC, o mercado entrará em pânico", diz Marilia Fontes

Mais na Exame