Mercados

Daycoval tenta compensar diluição de capital com recompra

Itaú BBA considera ainda a possibilidade de um programa adicional ou uma distribuição maior de dividendos


	 No ano, os papéis do Daycoval têm valorização de 1,4%
 (Reprodução)

 No ano, os papéis do Daycoval têm valorização de 1,4% (Reprodução)

DR

Da Redação

Publicado em 21 de janeiro de 2013 às 14h31.

São Paulo – O banco Daycoval (DAYC4) anunciou a recompra de quase 10% das ações em circulação no mercado como uma possível estratégia de compensar, em parte, o volume de papéis que chegou ao mercado como resultado da troca de títulos por ativos da instituição financeira.

O programa compreende a compra de até 6,246 milhões de ações da empresa pelo prazo de um ano. O montante representa 9,78% das ações em circulação no mercado. Os papéis serão mantidos em tesouraria para posterior alienação ou cancelamento. As corretoras Santander, Goldman Sachs e Barclays irão realizar a intermediação das operações na bolsa.

“A implementação do programa é importante para evitar uma desalavancagem substancial do banco, devida à conversão de warrants em ações. Mesmo antes da conversão desses títulos, o Daycoval possuía uma posição de capital forte, com um índice da Basiléia de 17,3% no 3T12, composto exclusivamente de capital de nível I”, ressalta o Itaú BBA, em relatório.

Para os analistas Regina Longo Sanchez, Thiago Bovolenta Batista e Alexandre Spada, o banco pode anunciar outro programa de recompra de ações ou uma distribuição maior de dividendos para compensar o impacto de possíveis conversões adicionais de títulos em ações. Os demais detentores de títulos podem converter os papéis a partir de março.

O banco calcula que as 6,246 milhões de ações que fazem parte do programa anunciado nesta semana representam 73% das emitidas na conversão dos títulos. No ano, os papéis do Daycoval têm uma valorização de 1,4%.

Acompanhe tudo sobre:Análises fundamentalistasB3Bancosbolsas-de-valoresDaycovalEmpresasItaú CorretoraMercado financeiro

Mais de Mercados

Nvidia tem forte queda e perde US$ 500 bi após ter se tornado empresa mais valiosa do mundo

Shein protocola pedido confidencial de IPO em Londres, segundo CNBC

Ibovespa fecha em alta pelo 5º pregão seguido e recupera os 122 mil pontos de olho em dados e Magalu

Smart Fit (SMFT3) confirma intenção de compra da academia Velocity

Mais na Exame