Inteligência Artificial

A sinfonia da inovação: como um empreendedor brasileiro está revolucionando a música com IA

Conheça a história de Geraldo Ramos, brasileiro que vive em Salt Lake City, e comanda uma empresa de ferramentas inovadoras para músicos e produtores no mundo inteiro

Miguel Fernandes
Miguel Fernandes

Chief Artificial Intelligence Officer da Exame

Publicado em 13 de março de 2024 às 16h21.

Última atualização em 13 de março de 2024 às 16h33.

Uma das melhores partes do meu trabalho como diretor de inteligência artificial aqui na EXAME é poder conversar com brasileiros visionários, pioneiros na criação de soluções de IA dentro de suas áreas de atuação. Dessa vez conheci o Geraldo Ramos, fundador da Music.AI.

Pontualmente, Geraldo apareceu na tela, falando diretamente de Salt Lake City, emanando simpatia e entusiasmo. Depois das cordialidades iniciais, pedi que ele me contasse um pouco sobre sua história. Com um sorriso no rosto, Geraldo começou a narrar sua jornada, desde os primeiros contatos com computadores ainda na infância, graças à influência de sua mãe, uma engenheira civil que migrou para a área de computação nos anos 1990.

Geraldo compartilhou suas experiências como o "sobrinho que faz sites" na adolescência, sua primeira empresa aos 16 anos, as conexões com os Estados Unidos desde cedo, a venda de sua empresa de hospedagem, a mudança para os EUA, o casamento com uma americana que acelerou seu processo de imigração, até chegar à fundação da Music.AI.

Fascinado, ouvi Geraldo explicar como a Music.AI tem revolucionado a indústria musical, oferecendo ferramentas inovadoras para músicos e produtores no mundo inteiro. Com cerca de 90 colaboradores, a maioria baseada no Brasil, a empresa já levantou impressionantes US$ 10 milhões em investimentos.

Geraldo Ramos: criador do Music.ai

Geraldo Ramos: criador da Music.AI

Mergulhamos então em uma discussão instigante sobre o futuro da música. Geraldo compartilhou sua visão de como a inteligência artificial pode se tornar uma poderosa aliada no processo criativo, ao invés de uma ameaça. Ele ressaltou o potencial das ferramentas da Music.AI para impulsionar a produtividade e expandir as possibilidades criativas dos profissionais da música.

Nossa conversa fluiu de forma leve e envolvente, pontuada por demonstrações ao vivo das tecnologias da Music.AI. Geraldo mostrou, com entusiasmo contagiante, como a plataforma permite manipular elementos de uma música, gerar arranjos, criar modelos de voz sintéticos e muito mais.

Durante nossa conversa, ficou claro que a história de Geraldo e da Music.AI é um testemunho do imenso potencial dos empreendedores brasileiros. Seu sucesso é uma prova de que, com paixão, dedicação e inovação, podemos não apenas competir globalmente, mas liderar a transformação de setores inteiros.

Espero sinceramente que a trajetória de Geraldo sirva de inspiração para mais brasileiros seguirem esse caminho, abraçando a inovação e a tecnologia como ferramentas para moldar o futuro. Uma das minhas missões como Chief Artificial Intelligence Officer da EXAME é dar visibilidade às empresas brasileiras mais inovadoras e ajudá-las a se tornarem pioneiras no uso de inteligência artificial em suas áreas de atuação.

Se você é um líder empresarial com uma visão inovadora e deseja explorar o potencial transformador da IA em seu setor, vamos conversar. Juntos podemos colocar o Brasil na vanguarda da revolução tecnológica, celebrando e apoiando visionários como Geraldo Ramos, que estão redefinindo as fronteiras do possível.

Afinal, cada história de sucesso como a da Music.AI não apenas nos enche de orgulho, mas também nos mostra que o futuro é brilhante para aqueles que têm a coragem de perseguir seus sonhos e abraçar a inovação. Podemos construir um ecossistema empresarial mais dinâmico, criativo e preparado para os desafios e oportunidades da era digital.

Ao final de nossa conversa, eu estava não apenas impressionado com as realizações de Geraldo e da Music.AI, mas também inspirado por sua visão otimista do futuro. Ficou claro para mim que, com empreendedores como Geraldo à frente, a interseção entre tecnologia e criatividade tem um futuro brilhante pela frente.

Acompanhe tudo sobre:Inteligência artificialIndústria da música

Mais de Inteligência Artificial

Por que o AI Pin se tornou o maior fracasso de 2024

A história que a Globo precisou de inteligência artificial para contar

Reguladores dos EUA investigam Nvidia, Microsoft e OpenAI por conduta antitruste no mercado de IA

Esta empresa usa IA para conceder créditos a pessoas sem histórico financeiro

Mais na Exame