Future of Money

Wells Fargo lança fundo passivo de bitcoin para clientes de alta renda

Gigante bancário registrou fundo com as autoridades reguladoras americanas em parceria com a NYDIG e FS Investments e é mais mais um a aderir ao mercado cripto

NYDIG e FS Investments já trabalharam juntas em fundos de bitcoin anteriormente (Spencer Platt/Getty Images)

NYDIG e FS Investments já trabalharam juntas em fundos de bitcoin anteriormente (Spencer Platt/Getty Images)

Coindesk

Coindesk

Publicado em 20 de agosto de 2021 às 19h01.

Última atualização em 27 de agosto de 2021 às 10h44.

Na quinta-feira, 19, o Wells Fargo registrou um fundo privado de bitcoin com as autoridades reguladoras americanas, se tornando mais um gigante bancário a oferecer um veículo de investimento em criptomoedas para seus clientes de alta renda.

  • Uma fonte informou que o novo fundo é passivo, contradizendo notícias anteriores que afirmavam que o Wells Fargo iria procurar por investidores de alta renda com oferta de gestão ativa.
  • A NYDIG e a FS Investiments fizeram uma parceria com o Wells Fargo para a oferta, de acordo com documentos regulatórios; as duas já trabalharam juntas em fundos de bitcoin anteriormente. O Wells Fargo receberá uma parcela das vendas através de dois subsidiários.
  • O novo fundo, o FS NYDIG Bitcoin I e o LP não tiveram nenhuma venda até quinta-feira, 19.
  • O JPMorgan também entrou com uma solicitação na Comissão de Valores Mobiliários (SEC) dos EUA nesta quinta-feira, 19, para seu fundo passivo de bitcoin, que também é uma parceria com a NYDIG.
  • O Wells Fargo não comentou o caso.
  • Invista em bitcoin com apoio dos assessores do maior banco de investimentos da América Latina
Texto traduzido e republicado com autorização da Coindesk

Siga o Future of Money nas redes: Instagram | Twitter | YouTube

Acompanhe tudo sobre:BitcoinBlockchainCriptomoedasEstados Unidos (EUA)EXAME-no-InstagramFundos de investimentoJPMorganSECWells Fargo

Mais de Future of Money

Como se preparar para novas máximas do bitcoin?

Descentralização na Web3: redefinindo o futuro da internet

Criptomoedas podem cair mesmo em mercado de alta: o que é correção e como lidar com isso

Por que as marcas não podem ignorar o blockchain: a transformação da interação com o consumidor

Mais na Exame