Acompanhe:

Startup que usa blockchain para reciclar participa de programa da Shell

O programa de aceleração da Shell apostou no potencial da Green Mining para reciclar lixo usando a tecnologia blockchain

Modo escuro

Continua após a publicidade
Startup usa logística reversa e blockchain para reciclar de forma sustentável (Toby Melville/Reuters)

Startup usa logística reversa e blockchain para reciclar de forma sustentável (Toby Melville/Reuters)

M
Mariana Maria Silva

Publicado em 17 de março de 2022 às, 16h49.

Uma startup que usa a tecnologia blockchain para a reciclagem de lixo foi uma das 10 selecionadas para o programa de aceleração da Shell com foco em energias renováveis, circularidade do plástico e cidades inteligentes.

A Green Mining esteve no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro, para apresentar suas soluções de logística reversa aos 70 convidados do Shell Startup Engine. Entre eles estavam investidores, mentores e representantes de empresas e instituições, além de 600 telespectadores de uma transmissão ao vivo.

A partir da logística reversa, a startup identifica os locais de maior geração de lixo, como bares, restaurantes, lojas ou condomínios, e monta um mapa de coleta nestes locais. Então, um coletor contratado pela startup recebe o roteiro, faz a retirada dos materiais e registra todos os detalhes na plataforma, que usa a tecnologia blockchain para certificar a origem do material. Posteriormente, a coleta é encaminhada para a reciclagem.

A solução, que existe desde 2018 e já havia chamado a atenção de grandes empresas como Ambev e Unilever, agora é reconhecida pela Shell em sua iniciativa global que fomenta o empreendedorismo, oferecendo capacitação, mentoria e aceleração a startups disruptivas em estágio inicial a médio de maturidade.

“Na mineração natural, o que acontece é a extração de material virgem da natureza, como jazidas de petróleo e minério de ferro. Já nosso material está no meio urbano — e nunca se esgota”, explica Rodrigo Oliveira, um dos cofundadores da Green Mining.

Durante o programa, foram 6 meses e 200 encontros, incluindo 25 workshops e sessões individuais com o apoio de mais de 70 mentores do mundo todo. Além disso, o Shell Startup Engine foi realizado pela StartupBootcamp, uma das maiores aceleradoras do mundo.

Estamos muito felizes com o lançamento do nosso primeiro programa de investimento social em âmbito nacional na Shell Brasil. Nesta primeira edição do Shell StartUp Engine, focamos em soluções com potencial para gerar mudanças inovadoras em um cenário de negócios inteligentes e sustentáveis. Após as apresentações, em momento de networking, foram iniciadas algumas negociações entre startups e empresas interessadas”, comentou Flávio Rodrigues, vice-presidente de Relações Corporativas da Shell Brasil.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok

Últimas Notícias

Ver mais
Mastercard: 64% das empresas no Brasil são alvos de fraudes e ataques frequentemente
Future of Money

Mastercard: 64% das empresas no Brasil são alvos de fraudes e ataques frequentemente

Há 9 horas

Ethereum ultrapassa US$ 3 mil pela 1ª vez em quase 2 anos: o que isso significa?
Future of Money

Ethereum ultrapassa US$ 3 mil pela 1ª vez em quase 2 anos: o que isso significa?

Há 11 horas

Reino Unido anuncia nova lei para criptomoedas, com foco em staking e stablecoins
Future of Money

Reino Unido anuncia nova lei para criptomoedas, com foco em staking e stablecoins

Há 11 horas

Emojis conseguem revelar tendências de alta de criptomoedas, revela estudo
Future of Money

Emojis conseguem revelar tendências de alta de criptomoedas, revela estudo

Há 12 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais