SEC esfria expectativa sobre ETF, mas presidente elogia criptoativo

Após aumento de interesse por criptoativos, SEC emite alerta sobre investimento em bitcoin, que é considerado uma 'reserva de valor digital' por seu presidente

A comissão de valor mobiliários dos EUA, a SEC, divulgou nesta terça-feira, 11, uma declaração de sua equipe de gestão de investimentos, alertando os investidores sobre os possíveis riscos de investir em fundos mútuos que possuem alocações em futuros do bitcoin, esfriando as expectativas do mercado em relação à aprovação de um ETF norte-americano.

Na nota emitida por sua divisão de gestão de investimentos, a SEC solicitou que os investidores permaneçam cautelosos em relação a alocação de capital em fundos que possuem exposição à futuros do bitcoin, destacando os interessados nesse tipo de produto devem revisar sua tolerância ao risco.

“A equipe da Divisão de Gestão de Investimentos ("IM") incentiva fortemente qualquer investidor interessado em investir em um fundo mútuo com exposição ao mercado futuro de Bitcoin, conforme discutido abaixo, que considere cuidadosamente a divulgação de risco do fundo, a tolerância ao risco do próprio investidor e, a possibilidade, como acontece com todos os investimentos, de perdas…Como acontece com qualquer investimento em fundos, os investidores devem se concentrar no nível de risco que estão assumindo e, no nível de risco que se sentem confortáveis ​​em adotar antes de fazer um investimento ”.

Além disso, a equipe da SEC também pontuou que o bitcoin e seu mercado de derivativos são altamente especulativos, destacando que os investidores precisam considerar fatores como volatilidade, falta de regulação, potencial para fraudes e manipulações no mercado do criptoativo antes de realizar qualquer tipo de investimento.

“Entre outras coisas, os investidores devem entender que o bitcoin, incluindo o ganho de exposição por meio de seu mercado futuro, é um investimento altamente especulativo. Como tal, os investidores devem considerar a volatilidade do bitcoin e de seu mercado futuro, bem como a falta de regulamentação e o potencial para fraude ou manipulação em seu mercado subjacente”

Em contrapartida ao posicionamento da equipe de gestão de investimentos, Gary Gensler, atual presidente da SEC, em entrevista ao canal norte-americano CNBC na última sexta-feira, 7, demonstrou uma postura mais positiva em relação à criptomoeda, que apesar de sua volatilidade, pode ser considerada uma reserva de valor. Além disso, Gensler disse que os investidores precisam de mais proteções dentro do mercado dos criptoativos, salientando que uma regulamentação é necessária para prevenção de fraudes e outros tipos de problemas.

“É uma reserva digital escassa de valor, mas altamente volátil...E há investidores que querem negociar isso, e negociar por sua volatilidade, em alguns casos apenas porque há uma correlação mais baixa com outros mercados. Acho que precisamos de uma maior proteção para investidor lá”, disse Gary Gensler, presidente da SEC.

Desde 2017, com o aumento da demanda por produtos financeiros que ofereçam uma exposição aos criptoativos, o mercado espera a SEC aprovar um ETF de bitcoin ou de outras criptomoedas. Com um grande histórico de rejeições, a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA está analisando a proposta do ETF de bitcoin submetida pela Fidelity Investments em março, que pode se tornar o primeiro do país, que ficou para trás em relação a países como Canadá e Brasil, que já aprovaram ETFs da criptomoeda.

O alerta emitido pela SEC surge paralelamente ao aumento do interesse de grandes bancos e fundos de investimento em oferecer uma exposição ao criptoativo para seus clientes. Na última quinta-feira, 6, o Goldman Sachs anunciou o início das operações de sua mesa de negociação de criptoativos, que já está negociando futuros de bitcoin.

No curso "Decifrando as Criptomoedas" da EXAME Academy, Nicholas Sacchi, head de criptoativos da Exame, mergulha no universo de criptoativos, com o objetivo de desmistificar e trazer clareza sobre o funcionamento. Confira.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.