Podcast: as regras de Brasília para o bitcoin e o mercado de criptoativos

O crescimento do mercado de criptoativos tem promovido debates calorosos sobre regulação; saiba como está a situação dos projetos de lei sobre criptomoedas no Brasil
 (manusapon kasosod/Getty Images)
(manusapon kasosod/Getty Images)
Por Redação EXAMEPublicado em 08/03/2021 17:49 | Última atualização em 08/03/2021 17:49Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A regulação dos criptoativos sempre foi uma das discussões mais quentes do setor, no Brasil e no mundo. Analogamente ao que aconteceu com a Internet, governos do mundo todo buscam maneiras efetivas de estabelecer as regras do jogo, sem acorrentar toda inovação que tem sido promovida pela indústria de criptoativos e blockchain.

Acompanhando o aumento de preços, o crescimento da adoção dos criptoativos em todo o mundo tem promovido debates calorosos acerca de como a sua regulação deve ocorrer, principalmente para deixar mais claro para os investidores o funcionamento desse mercado, assim como os seus possíveis riscos.

Há um esforço muito grande para desenvolver uma regulação adequada no Brasil, principalmente para que os órgãos reguladores não tenham somente uma postura punitiva, mas sim um caráter educativo em suas instruções. Afinal, o Direito não deve funcionar como um freio para a inovação, e sim como um mecanismo capaz de fomentar a segurança jurídica para que o setor possa se desenvolver ainda mais.

No episódio mais recente do podcast do Future of Money, o head de criptoativos da EXAME, Nicholas Sacchi, e a especialista em Direito Digital, Thamilla Talarico, discutem as propostas de lei desenvolvidas ao longo dos anos no Brasil para dar mais clareza á investidores e empreendedores deste mercado.

Ouça o podcast clicando no player abaixo, ou na sua plataforma de streaming preferida:

No curso "Decifrando as Criptomoedas" da EXAME Academy, Nicholas Sacchi, head de criptoativos da Exame, mergulha no universo de criptoativos, com o objetivo de desmistificar e trazer clareza sobre o funcionamento. Confira.