Mais rico do mercado cripto: decisão de Elon Musk e Tesla de vender bitcoin não significa muito

Para bilionário, venda da Tesla não afeta fundamentos e não diz muito sobre o futuro do bitcoin; Elon Musk explicou decisão e se mostrou aberto a investir novamente no futuro
Tesla vendeu 75% da sua posição em bitcoin ao longo do segundo trimestre de 2022; Elon Musk cita covid-19 na China como motivo (salarko/Getty Images)
Tesla vendeu 75% da sua posição em bitcoin ao longo do segundo trimestre de 2022; Elon Musk cita covid-19 na China como motivo (salarko/Getty Images)
D
Da RedaçãoPublicado em 23/07/2022 às 15:20.

Dono da maior fortuna pessoal entre os bilionários do bitcoin e do mundo cripto, o CEO da corretora Binance, Changpeng Zhao (CZ), acredita que a decisão da Tesla de desfazer 75% da sua posição em bitcoin não terá nenhum grande efeito prático sobre o setor.

(Mynt/Divulgação)

"Ele [Elon Musk] é um cara esperto, mas isso não significa que ele possua todos os ativos de valor do mundo. Ele provavelmente não tem muitas ações de outras empresas, outras criptomoedas de valor, etc. Só o fato de ele ter comprado e vendido bitcoin não significa que porque ele comprou, o bitcoin ficou melhor, ou que porque ele vendeu, o bitcoin ficou pior", disse CZ em entrevista à Fox Business.

Além de ser apontado pela lista da Forbes como o homem mais rico da indústria de criptoativos, CZ também figura entre os homens mais ricos do mundo, com fortuna estimada em US$ 65 bilhões na época da publicação - o número atual é menor, após mais alguns meses de queda no setor desde que a edição de 2022 do ranking foi divulgada.

Para ele, a ação individual de um investidor, mesmo que seja um grande investidor, não altera em nada os fundamentos do bitcoin e da tecnologia que a criptomoeda criou: "Os fundamentos estão lá, os casos de uso estão lá, o número de usuários está lá, a comunidade está lá. As propriedades fundamentais do bitcoin não mudam porque um cara comprou ou vendeu".

CZ também falou que a venda não significa necessariamente que Elon Musk, ou a Tesla, não acreditem mais no bitcoin: "Ninguém sabe quais as razões para eles terem comprado ou vendido. Talvez precisassem de dinheiro, talvez para tentar comprar o Twitter ou alguma outra coisa, eu não sei. Mas não significa muita coisa".

Após a divulgação do balanço da Tesla sobre o segundo trimestre de 2022, na quinta-feira, 21, Elon Musk tentou explicar os motivos para a venda de quase US$ 1 bilhão em bitcoin: “É importante dizer que a razão pela qual vendemos boa parte da nossa posição em bitcoin foi que não tínhamos certeza de quando os bloqueios do covid-19 na China seriam aliviados. Portanto, era importante maximizar nossa posição de caixa, dada essa incerteza. Certamente estamos abertos a aumentar nossas participações em bitcoin no futuro e, portanto, isso [a venda] não deve ser considerado um veredicto sobre o bitcoin”.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok